Mais de 50 balsas de garimpo ilegal foram destruídas em Jutaí

Foto: PF-Ibama

A Operação Korubo destruiu mais de 50 balsas de garimpo ilegal que operavam nos rios Jutaí, Curuena e Mutum, no município de Jutaí (a 751 quilômetros de Manaus). A destruição atendeu uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas, que considerou a ineficácia em nomear os infratores e as especificidades da geografia da região, onde seria impossível apreender os bens. 

A operação foi realizada, nesta semana, na região para reprimir a extração ilícita de minérios e contou com a participação de policiais e agentes de órgãos fiscalizadores. 

Segundo o MPF, a ação foi realizada a partir do diálogo iniciado em abril deste ano, entre as instituições com atribuição para atuar na resposta ao problema, depois que o órgão ministerial foi informado sobre a presença maciça de garimpeiros ilegais na região do rio Jutaí. 

A partir da instauração de procedimento de investigação pela Procuradoria da República de Tabatinga, unidade do MPF responsável pela atuação do órgão na região, foi elaborado um plano de ação envolvendo o Exército Brasileiro, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Polícia Federal (PF) e a Fundação Nacional do Índio (Funai). 

O MPF esteve no Comando Militar da Amazônia (CMA) e na Superintendência da Polícia Federal, em Manaus, para contextualizar o problema aos representantes das instituições.

Com informações da assessoria do MPF-AM.