Mais de 63 mil livros foram lidos por alunos da rede municipal neste ano

O Projeto de Leitura e Escrita ‘Pipocando’, implantado em maio deste ano, pela Prefeitura de Manaus, em 76 escolas da rede municipal de ensino e que atende, aproximadamente, 12 mil alunos, e que busca estimular o gosto pelos livros já alcançou 63.623 livros lidos, apenas em 2018, pelos estudantes participantes.

Nessa quinta-feira (4), 35 alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental e da Educação Especial, da Escola Municipal Benjamim Matias Fernandes, no bairro Lago Azul, zona Norte, que foram destaque no terceiro bimestre, receberam premiações.

A unidade de ensino faz parte do Programa de Gestão de Alfabetização (PGA), implantado em maio deste ano pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) com o objetivo de atingir a meta 5 do Plano Municipal de Educação (PME), que determina a alfabetização de todas as crianças, até o final do 3º ano do Ensino Fundamental, até 2024.

A subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Araújo, acompanhou de perto a programação e destacou o avanço da leitura pelos alunos da escola. Para ela, isso é o resultado das atividades realizadas pelas professoras em sala de aula. “Esse é um projeto para incentivar o desenvolvimento da leitura. É um projeto de bastante relevância e que vai colaborar com as metas e objetivos da Semed”, comentou.

O coordenador do PGA na Semed, Francinaldo Mendes Nogueira, destacou os resultados do programa na rede municipal de ensino durante os últimos três meses. Segundo o educador, cada estudante tem uma meta de leitura em sua unidade de ensino.

“Uma das ações do programa é acompanhar os livros lidos pelas crianças. Temos uma ficha, na qual, o professor marca o livro que cada criança leu ao longo do mês. A criança escolhe um livro do acervo, leva para casa e faz a leitura. O professor marca um dia na sala de aula para socializar com todos”, explicou.

Projeto

A gestora da escola, Jotacy Marinho Benevides, explicou que o projeto “Pipocando”, trabalha com, aproximadamente, de 890 alunos na unidade e que os resultados alcançados são satisfatórios.

“O projeto é fundamental para aumentar o nosso índice de alfabetização. A leitura é um mundo que se abre para eles, uma porta de oportunidades para tirar melhores notas, se desenvolver como cidadão e saberem também argumentar e se posicionar”, explicou.

O comprador Franklin Marinho Barroso, 33, pai do aluno do 2º ano, Luís Miguel, 8, participou pela primeira vez de um evento da escola e saiu feliz ao ver o trabalho realizado no processo de ensino/ aprendizagem do filho.

“Acho uma forma de incentivo muito bonita, porque temos que incentivar as crianças a buscar conhecimentos. O meu filho tinha essa dificuldade desde o início do ano, mas percebi uma melhora. Estou muito feliz, me orgulho e fico emocionado, porque é uma conquista para vida dele”, afirmou.

Um dos alunos do 2º ano que conseguiu superar os problemas da leitura foi João Felipe da Cruz, 8, sendo um dos destaques do 3º bimestre. “Estudei muito na escola e já consigo ler os textos. Em casa eu leio um monte de textos que passa na televisão e na escola leio toda hora sem parar. Foi assim que aprendi”, declarou.

Com informações da assessoria