Anúncio Advertisement

“Manaus Ambiental cobra 100% de esgoto e não realiza serviço”, diz Everaldo

Everaldo Farias

O vereador Everaldo Farias (PV) afirmou, hoje, que a empresa Manaus Ambiental precisa rever o pagamento da taxa  de coleta e tratamento de esgoto cobrado sobre a fatura da conta de água já que o serviço não vem sendo realizado adequadamente na cidade. Atualmente, a empresa cobra pelo serviço o equivalente a 100% sobre o valor da fatura.

A declaração do parlamentar foi dada durante a realização de uma audiência pública onde a concessionária e Eletrobras Amazonas tentaram prestar esclarecimentos sobre problemas no abastecimento de água na capital. “Quem paga uma conta de água no valor de R$ 100, terá que desembolsar a quantia dobrada (R$ 200) por um serviço que não chega a sua moradia. Isso é um absurdo”, completou o parlamentar.

No site oficial da empresa, a concessionária disponibilizou um quadro de acompanhamento das elevatórias da rede de esgoto no qual aparecem que diversos bairros da cidade estão recebendo o serviço de coleta e tratamento de esgoto. “O bairro da Betânia, onde moro, não recebe esse serviço da Manaus Ambiental, no entanto, o quadro aponta um status de “em operação” A empresa precisa rever esse levantamento”, completou o Everaldo.

Durante a audiência, o vereador questionou o problema dos dirigentes da Manaus Ambiental. Ele informou que, atualmente, apenas, 15% das residências possuem coleta de esgoto. Everaldo lembrou que a publicação do Diário Oficial do Município (DOM) no dia 5 de junho de 2012 dá conta que o contrato da prefeitura com a empresa vai até o ano de 2045, mas não esclarece metas. “Não vi nesse aditivo nada que contemplasse o serviço de tratamento de esgoto e isso é preocupante”, declarou.

Manaus Ambiental

O presidente da Manaus Ambiental, Alexandre Bianchini, informou  que irá enviar um relatório a Câmara Municipal de Manaus sobre o serviço de tratamento de esgoto e os valores cobrados. Bianchini garantiu que a empresa tem buscado fazer investimentos no setor.

“Neste ano estão sendo investidos R$ 30 milhões na construção da rede de esgoto. A meta é que em 2026 Manaus tenha 66% do seu esgoto coletado e tratado e em 2045, 90%”, afirmou Bianchini.

Sobre o valor cobrado de 100% de taxa de esgoto, o diretor-presidente da Manaus Ambiental afirma que está de acordo com a média cobrada em outras cidades brasileiras. “É muito mais caro tratar o esgoto do que fornecer água nas residências. Na verdade, a taxa devia ser mais cara do que é atualmente”, defendeu o executivo.