Manaus é uma nova cidade: voltamos ao tempo do carro-pipa!

carro pipa do exercito

“Parte dessas 500 mil pessoas que não tem água, a metade só tem abastecimento por algumas horas do dia, e até o fim do ano, todos terão água 24 horas por dia, e até março (2014), será uma página virada esse problema de abastecimento de água em Manaus”, ressaltou”. Isso está escrito em matéria publicada em um dos sites de Manaus, no dia 09 de julho de 2013, intitulada Programa de água em Manaus deve começar a funcionar até setembro”. Só que três anos depois da promessa, o que aconteceu foi o retorno de Manaus aos tempos dos carros pipa, na Zona Leste, onde milhares de pessoas não têm agua há mais de 15 dias.

E o prefeito ainda entende, sem reclamar, que a Manaus Ambiental nem tenha carros pipa suficientes para fazer chegar um pouco de água nas casas desses cidadãos. O que ele fez foi pedir ajuda pro Exército Brasileiro que passará a atuar nessa quinta-feira (09). Mas, o prefeito ameaçou que se o problema não estivesse resolvido até ontem, quarta-feira (09), a Manaus Ambiental levaria uma “pesada multa” – até parece que a Manaus Ambiental paga os milhões em multa que recebe da tal de Arsam – aquela que faz de conta que regula alguma coisa, enquanto a Prefeitura faz de conta que pune.

Desde a campanha eleitoral de 2012 que Artur Neto faz jogo de cena com a Manaus Ambiental. Entre as lambanças de Artur Neto, nesse período de campanha, está a afirmação: “No nosso governo não faltará água para ninguém”. E o então candidato Artur Neto, em suas bravatas, disse que se a Manaus ambiental não se comportasse bem, ia “pegar o beco”. Em outra entrevista, disse que, ou a Manaus Ambiental resolvia o problema da falta d’água, ou “ia juntar os panos de bunda e iria embora de Manaus” – ver matérias em página lincada.

E como euzinha já disse antes, nem a Manaus Ambiental pegou o beco, e nem juntou os panos de bunda e foi embora de Manaus. O que aconteceu foi receber de presente do prefeito Artur Neto e do então governador Omar Aziz toda a estrutura do Proama, mais de R$ 400 milhões, – segundo o TCE o valor ultrapassa R$ 500 milhões – pagos com o dinheiro público. E ainda uma renovação de contrato assinada por Artur Neto de mais 30 anos, cobrando taxa de esgoto até onde não existe esgoto. E cobrando contas de água de valores exorbitantes até onde não chega água. E, esse ano, recebeu mais um presente, dessa vez do bom e humilde filho de seringueiro governador do Estado com o aval da Assembleia de Josué Neto, uma isenção de ICMS de R$ 30 milhões. Pode, gente? (Any Margareth)