Manaus registra mais de 100 incêndios em dois meses, diz Bombeiros

Fotos: João Gomes / SSP-AM

Nos dois primeiros meses deste ano, foram registrados 103 casos de incêndios em Manaus, segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBM/AM). Do total, 21 de sinistros em casas e apartamentos. Também foram registrados 21 casos em veículos e outros 34 princípios de incêndios, debelados sem maiores danos.

Segundo o órgão, curtos-circuitos ocasionados pelo uso incorreto de aparelhos como ventiladores e ferros de passar e por instalações elétricas em mau estado de conservação são os principais fatores causadores de incêndios em residências.

“Em muitos casos que atendemos, os incêndios iniciam por problemas em ventiladores. O aparelho começa a apresentar um funcionamento defeituoso, como o travamento das hélices, e a pessoa continua utilizando. Ocorre, então, dele superaquecer e iniciar um curto-circuito que acaba ocasionando um incêndio”, explicou o major Janderson Lopes.

De acordo com o bombeiro, também são grandes causadores de incêndios atitudes como esquecer o ferro de passar ligado ou deixar o celular carregando por muito tempo em cima de superfícies inflamáveis, causando um superaquecimento, bem como deixar panelas no fogão por muito tempo.

No último sábado (30), um incêndio de médias proporções atingiu pelo menos duas casas no bairro Educandos, na zona Sul de Manaus. Cerca de cinco famílias perderam tudo na ocorrência. Outro incêndio ocorreu no final do ano passado, onde cerca de 600 casas foram destruídas no mesmo bairro.

Precauções

Segundo o Corpo de Bombeiros, a população deve seguir uma série de recomendações para não correr o risco de passar por um sinistro em casa. São pequenos cuidados que podem evitar incidentes graves, enfatiza o Major.

“As pessoas devem ficar atentas, principalmente, às condições das instalações elétricas das suas casas. Evitar ligar aparelhos em tomadas adaptadas, ou ligar vários aparelhos em uma tomada, para que não haja o risco de superaquecimento”, diz Janderson Lopes.

Ele também orienta que os celulares sejam carregados em superfícies não inflamáveis, de preferência no chão, e que se mantenha atenção com equipamentos como ventiladores e aparelhos de ar-condicionado. Outro ponto levantado é que as pessoas tomem cuidado com o manuseio de fósforos, velas e isqueiros pelas crianças.

Orientação parecida é feita em relação a riscos de incêndios em automóveis. O major afirma que a maior parte dos problemas ocorre devido à falta de manutenção dos veículos, mesmo os novos.

“A orientação que damos, em casos de superaquecimento dos veículos, é que o motorista pare imediatamente, se estiver acompanhado de crianças e idosos, retire as pessoas do carro e peça ajuda”, destacou.

Com informações da assessoria da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM).