Manaus terá atendimento padronizado para vítimas de violência

As mulheres, crianças, adolescentes, LGBTIS e refugiados vítimas de violência em Manaus passarão a ter um atendimento padronizado na capital amazonense quando as vítimas buscarem apoio em órgãos municipais como Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Secretaria de Saúde (Semsa) e de Educação (Semed).

A padronização é fruto da assinatura de um compromisso firmado pela Prefeitura de Manaus, nesta quarta-feira (5), na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM). Na oportunidade, a Prefeitura lançou, ainda, o documento “Fluxo de Resposta a Incidentes de Violência contra Mulheres, Crianças, Adolescentes, LGBTIS e Refugiados”.

A assistência padronizada prevê saúde, suporte jurídico e psicossocial dirigido ás vítimas de violência também de gênero. A disponibilidade desse atendimento é acompanhada por órgãos como Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), Fundo População das Nações Unidas (UNFPA), Governo do Estado e Prefeitura de Manaus, todos presentes no evento através de representantes.

Fluxo

O fluxo de atendimento é direcionado para servidores públicos, técnicos e população em geral sobre serviços especializados de atendimento em Manaus. Servirá também como guia para resposta rápida, precisa e adequada às pessoas vítimas de violência como mulheres, crianças, adolescentes, LGBTIS e refugiados.

As instruções dão conta de órgãos como: Maternidades, Pronto Socorros, Centros de Atenção Integral à Criança (CAIC), Sistema Emergencial à Mulher (SAPEM), Policlínicas, Unidades Básicas de Saúde (UBS), Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Conselhos Tutelares, Assistência Jurídica (delegacias, promotorias, juizados) e Conselhos Municipais e Estaduais.