Manifestantes vão às ruas pelo país em protestos contra o governo Bolsonaro

Protesto contra o presidente Bolsonaro teve início na Praça do Derby, no Recife, neste sábado (2) — Foto: Priscilla Aguiar/g1

Manifestantes foram às ruas em várias cidades do país para protestar contra o governo de Jair Bolsonaro neste sábado (2). Há manifestações em capitais como Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Fortaleza, Goiânia, Teresina e São Luís.

Rio de Janeiro

Manifestantes fazem um protesto contra o presidente Jair Bolsonaro, na manhã deste sábado (2), na Candelária, no Centro do Rio. Além de pedir o impeachment do presidente, o ato também é contra privatizações e a política econômica do governo.

O ato foi organizado por centrais sindicais, uniões estudantis, sindicatos e partidos de esquerda. As ruas do entorno estão com policiamento reforçado. Por volta das 10h30, a pista central da Avenida Presidente Vargas estava interditada ao trânsito.

São Paulo

O ato na cidade de São Paulo está marcado para o período da tarde.

Em Campinas, moradores fizeram um protesto contra o governo. Entre as reivindicações, as pessoas pediram o impeachment do presidente e alguns também se mostraram contrários ao governo estadual de João Doria.

Em Sorocaba, o protesto teve início por volta das 10h. Os manifestantes foram para as ruas da região central.

Com bandeiras e camisetas de partidos políticos de esquerda, eles exibem cartazes pedindo a saída do presidente e do vice-presidente Hamilton Mourão.

Também houve manifestações em São Carlos, Ribeirão Preto e Franca.

Em Guararema, houve um ato pelo impeachment do presidente.

Durante o protesto, o grupoexpôs cartazes com mensagens contra o Bolsonaro. Eles também usaram frases em favor da democracia e compartilharam textos defendendo “uma leitura progressista da Bíblia”.

Minas Gerais

Em Montes Claros, o protesto começou por volta das 9h. O ato foi organizado por movimentos sociais e partidos de esquerda. Os manifestantes usaram bateria e carro de som para pedir o impeachment do presidente. Eles também defenderam a vacinação, geração de empregos e investimento na educação.

Em Governador Valadares, os grupos se dividiram em quatro pontos da cidade onde fazem panfletagem e dialogam com a população sobre a situação econômica do país. Eles também usam faixas com dizeres como: ‘Vacina no braço, comida no prato e fora Bolsonaro’.

Bahia

Em Salvador, um grupo de pessoas caminhava pelo centro para protestar contra o governo de Bolsonaro. Com cartazes, os manifestantes também protestam em defesa dos empregos, da saúde pública, da educação, pedem melhorias no serviço público e mais vacinas. Eles também reivindicam o aumento do valor do auxílio emergencial. Há ainda protestos contra a reforma na administração pública.

Centrais sindicais, entidades estudantis, movimentos sociais e representantes de partidos políticos participam do ato.

Pernambuco

No Recife, os manifestantes se reuniram no centro da cidade com faixas e cartazes pedindo o impeachment do presidente. Eles também cobraram mais empregos e vacinas contra a Covid-19.

A manifestação também é contra proposta de reforma administrativa do setor público.

Em Petrolina, no sertão de Pernambuco, o ato começou por volta das 9h. O evento foi organizado por movimentos sociais, estudantis, entidades e partidos políticos.

Alagoas

Em Maceió, manifestantes ocuparam duas faixas de uma avenida. Os participantes usam máscara, em prevenção ao coronavírus.

Entre as pautas da manifestação, havia pedidos de vacina para todos, valorização do serviço público, e protestos contra a privatização e oss preço dos combustíveis e dos alimentos.

Ceará

Os manifestantes foram ao centro da capital do Ceará. Com faixas e bandeiras, eles começaram uma caminhada pelas ruas. Os participantes usaram máscara, em prevenção ao coronavírus.

Eles protestavam contra o aumento da fome entre a população e pediram mais empregos e políticas de moradia. Eles também protestaram contra a reforma administrativa, em tramitação no Câmara dos Deputados, e contra privatizações.

Ceará

Os manifestantes foram ao centro da capital do Ceará. Com faixas e bandeiras, eles começaram uma caminhada pelas ruas. Os participantes usaram máscara, em prevenção ao coronavírus.

Eles protestavam contra o aumento da fome entre a população e pediram mais empregos e políticas de moradia. Eles também protestaram contra a reforma administrativa, em tramitação no Câmara dos Deputados, e contra privatizações.

Paraíba

Há protestos na capital da Paraíba, João Pessoa, e também nas cidades de Campina Grande (no agreste do estado), Patos e Cajazeiras (as duas últimas no sertão).

Em João Pessoa, dois grupos partiram de origens diferentes para chegar a um ponto final, o Ponto de Cem Réis. Nos cartazes, há reclamações sobre aumentos dos preços de combustíveis, produtos alimentícios e gás de cozinha.

Manifestantes homenagearam, ainda, as vítimas da Covid-19 e pediram o impeachment do presidente.

Piauí

Em Teresina, outra capital onde a manifestação ocorre pela manhã, no centro da cidade, as pessoas também reclamaram do desemprego e do aumento da fome. Movimentos sociais e estudantis, representantes sindicais e partidos políticos organizaram o evento.

Goiás

O ato em Goiânia começou na Praça do Trabalhador, na área central da cidade. Os grupos presentes foram convocados por partidos políticos, movimentos sociais e sindicatos.

O movimento pede o impeachment do presidente, mais vacinas contra a Covid-19 e atuação do governo federal para frear a inflação no país. Movimentos culturais também se apresentam durante a manifestação.

Tocantins

Em Palmas, o ato é organizado por movimentos sociais e tem como pedidos a saída do presidente Bolsonaro, vacina contra Covid disponível para todos e a volta do auxílio emergencial de R$ 600. Eles também são contra a concessão do Parque Estadual do Jalapão para a iniciativa privada.

Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande a manifestação começou às 9h. Usando máscaras e a maioria tentando manter um mínimo de distanciamento, em razão da pandemia de Covid, os manifestantes exibiram faixas e cartazes de protesto. A maioria dizia: “Fora Bolsonaro”, mas também traziam mensagens em defesa da vida e da democracia e contra a fome e o desemprego.

Rio Grande do Sul

Algumas cidades do Rio Grande do Sul realizaram protestos com o presidente Jair Bolsonaro. Em Cruz Alta, os manifestantes reclamam da inflação, do desemprego e afirmam que houve irresponsabilidade com a saúde por parte do governo. Em Pelotas, a manifestação se concentrou no centro histórico.