Máquina que vende cigarro e cachaça 24h faz sucesso em Belo Horizonte

A engenharia fica na rua e basta colocar uma moeda de R$ 1 e apertar os botões para conseguir um copo de cachaça e dois cigarros

Foto: reprodução

Uma máquina bastante inovadora está chamando a atenção em Belo Horizonte. Para quem gosta de uma cachaça e não fica sem um cigarro ela é uma tecnologia e tanto. A máquina que vende cigarros e cachaça fica no Padre Eustáquio, na região Noroeste de Belo Horizonte, e funciona durante 24h, basta colocar a moeda e retirar o produto.

Nesta semana, a engenharia viralizou na internet após ser postada na página de Instagram BHmeupaís. Já são cerca de 17 mil visualizações e quase 400 comentários. Muita gente brincando que o estabelecimento já está anos à frente.

Instalada na avenida dos Esportes ela fica em uma lanchonete que atualmente está fechada e pertence ao empreendedor Beto Matarazzo. O sistema foi criado em 2020 quando a pandemia comprometeu os rendimentos da família que tinha uma lanchonete no local, mas precisou fechar o estabelecimento e ficou sem dinheiro até para pagar o aluguel.

“Muita gente comprava cigarro e pinga lá. Quando fechou as pessoas começaram a me chamar em casa 20h, 21h ou 22h para comprar os produtos. Então eu vi a necessidade de resolver esse problema, para evitar este incomodo na minha casa, querendo cachaça e cigarro. Aqui tem muito morador de rua e eles ficavam chamando”, conta Beto Matarazzo, proprietário da máquina.

Segundo ele, para achar a solução, a internet foi uma aliada.

“Eu pesquisei na internet e, por acaso, achei um vídeo de um cara que tinha a máquina no interior da Bahia. Eu pesquisei a forma de fazer essa máquina e consegui um homem que poderia fazer. Ele fazia máquina de fliperama, mas eu expliquei para ele que eu queria fazer em uma máquina a cachaça e o cigarro. A ideia era que o pessoal pudesse comprar sem a necessidade de ficarem me chamando. Esse homem ficou um mês fazendo a máquina e quando ela ficou pronta, ele me mandou a foto e eu paguei e instalei”, ressalta.

Matarazzo contou que muita gente faz foto do empreendimento e as imagens vão circulando na internet.