Marcelo Crivella foi preso, aleluia Senhor!

Foto: Reprodução Facebook

Quem quiser me esculachar, fique à vontade, afinal, como costumo dizer, não sou candidata a miss simpatia e, quem quer ser amado, por tudo e por todos, procure outra profissão, mas não a de jornalista, pois nessa função sempre vamos contrariar, em algum momento, os interesses de alguém. Estou dizendo isso, porque o título desse texto, expressa exatamente o que pensei, no momento em que cheguei nesta terça-feira, 22 de dezembro, no Radar e vi no monitor da redação a notícia da prisão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella.

Não que eu queira condenar o prefeito Crivella, antes mesmo dele ser julgado, afinal não tenho esse direito, nem na Lei dos homens. porque alguém só está condenado, quando o processo já está transitado em julgado e já tem sentença condenatória definitiva, e nem nas Lei de Deus, porque cabe ao Senhor a Justiça divina. Mas a questão é que sempre tenho um pé atrás com quem usa o nome de Deus a todo momento. Minha velha e sábia mãe sempre dizia para desconfiar dos homens que posam de santos, porque em sua maioria são “lobos em pele de cordeiros”.

Afinal, o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Marcelo Crivella deveria saber que é premissa bíblica que “não tomarás em vão o nome do Senhor, o teu Deus, pois o Senhor não deixará impune quem tomar o seu santo nome em vão”(Êxodo 20:7).

Marcelo Crivella está sendo acusado de chefiar o “QG da Propina”, uma organização criminosa que, segundo investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro, fazia empresários pagarem propina para ter acesso a contratos e para receber valores que a prefeitura estaria devendo às empresas.

Bom lembrar ao bispo Crivella também qual é o oitavo mandamento de Deus: “não roubaras”.