Marina Ruy Barbosa fala em “ano difícil” e reage a polêmica

Getty Images

Os meus vinte e seis anos chegaram e confesso que foi um ano difícil da minha vida em vários aspectos – aliás, está a ser assim com o mundo todo”. Foi com estas palavras que Marina Ruy Barbosa começou por falar do seu aniversário, celebrado a 30 de junho.

A atriz brasileira recorreu à sua página de Instagram, nesta terça-feira, para fazer um desabafo.

“Depois de muitas superações, terapia e tentando me expor cada vez menos, para conseguir preservar a minha saúde mental, hoje estou um pouco mais calma e a lidar melhor com minhas crises de ansiedade”, partilhou.

Em seguida, falou sobre a pandemia da Covid-19 e a festa de aniversário que realizou e que acabou sendo duramente criticada. Uma celebração que contou com cerca de 20 convidados.

“Sinto-me um pouco mais tranquila hoje também, porque vejo a vacinação caminhar. Ela segue em passos lentos, mas já é uma luz que nos dá esperança. Os meus pais e alguns amigos já foram vacinados. E diante disso abri uma concessão de reunir pessoas que são as maiores bênçãos da minha vida. Inclusive comentei aqui nos stories que faria isso – afinal, não era um segredo, nem algo escondido”, disse.

“Foram tomadas precauções e cuidados para reunir a minha família e poucos amigos que já fazem parte do meu convívio, cerca de 20 pessoas num ambiente completamente aberto, numa propriedade privada, com testes feitos – os mesmos que fazemos em ambientes profissionais. Não foram três dias de comemoração”, esclareceu, desmentindo algumas das informações que foram avançadas pela imprensa local.

“Não pretendo fazer disso uma justificativa e sim uma explicação com respeito e amor diante de tantas especulações e informações distorcidas e aumentadas. Diferentemente do que publicaram, nada foi feito escondido. Sei da minha responsabilidade como artista e como mulher, e nunca quis ofender nem magoar ninguém com essa noite”, realçou.

“Não sou perfeita (e nem pretendo ser), e não vou nunca conseguir suprir as expectativas e idealizações de todos, sou apenas mais uma mulher tentando fazer o meu trabalho, aprendendo diariamente e tentando acertar mais do que errar”, escreveu.

“Estamos todos vivendo momentos de extrema dor e incertezas. Sigo afirmando a importância de nos cuidarmos, porque é o que eu penso. Se eu não tivesse como realizar esse encontro de forma controlada, eu não faria. A flexibilização da quarentena não significa o fim da pandemia e infelizmente ainda não existe vacina para todos no Brasil. Com amor, Marina”, completou.