Marta perde pênalti, mas Bárbara pega duas cobranças e leva Brasil à semifinal

comemoracao capa

brasilfeminino-reu3O Brasil tentou resolver nos 90 minutos. Tentou resolver nos 120 minutos. Mas resolveu somente na sofrida disputa de pênaltis. E quis o destino que a heroína de hoje fosse a vilã de ontem. Logo Marta desperdiçou a quinta cobrança, mas a goleira Bárbara se redimiu da falha no Mundial de 2015, contra a própria Austrália, defendeu duas cobranças de pênaltis e classificou o Brasil para a semifinal olímpica contra a Suécia, no Maracanã.

PRIMEIRO TEMPO

O Brasil cometeu muitos erros de passe. Principalmente no início de jogo e no campo defensivo. Fato que fez a torcida passar por alguns sustos. Num deles, a goleira Bárbara quase perdeu a posse de bola fora da área para a atacante Simon. A Austrália não se intimidou com um estádio lotado a favor do Brasil e encarou o time de Vadão ao marcar as saídas de bola pelas laterais. Mas depois de um bom início, o técnico australiano, Alen Stajcic, viu o Brasil equilibrar as ações e perder boas chances para marcar com Debinha e Thaisa.

brasilfeminino-reu4SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa foi ataque contra defesa, apesar de a Austrália ter assustado ao chutar no travessão em finalização de Logarzo. Mas o Brasil seguiu perdendo boas chances. Bia não conseguiu concluir uma sequência de cruzamentos na área. Na única bola que a seleção conseguiu conferir, com Andressa, parou na goleira Willians.

PRORROGAÇÃO

O drama tomou conta da partida. O Brasil queria resolver rápido, mas a Willians não queria deixar. Ou melhor, não deixou. Fez grandes defesas e parou o ataque da seleção, inclusive Marta, que a obrigou a ir no canto buscar. O jogo era perigoso. O Brasil se arriscava ao ataque, mas a Austrália poderia ter acabado com a festa brasileira se tivesse acertado o último passe em vários contra-ataques. O final da prorrogação foi um reflexo de quase todo o jogo: o Brasil pressionando, mas não conseguindo balançar as redes australianas.

martha brasilPENALIDADES

O nervosismo tomou conta do Mineirão. Após oito cobranças, quatro de cada lado, todas no fundo do gol, parou na mão de Marta a chance de marcar o quinto do Brasil e mandar a pressão para o lado australiano. Mas não foi esse o roteiro. Assim como no Mundial de 2007, contra a mesma Austrália, ainda no tempo regulamentar, a camisa 10 desperdiçou a cobrança. Mas quando tudo parecia perdido, Bárbara se agigantou e parou Gorry. E queria mais. Após bela batida de Tamires na oitava cobrança, a goleira decidiu o jogo com uma grande defesa no chute de Kennedy.

barbara_brasil_apBARBARIDADE

Duas defesas sensacionais! A goleira Bárbara voou baixo para classificar o Brasil na sofrida disputa de pênaltis. Não perdeu o foco ao ver a principal referência do futebol feminino ir às lágrimas ao desperdiçar a quinta cobrança. Pelo contrário. Cresceu, inflamou a torcida ao parar Gorry e carimbou a vaga ao pegar a cobrança de Kennedy.

Fonte: GE