Mas pular muro num é coisa de bandido, deputado?

O deputado federal BB – bombadão e bolsonarista -, Daniel Silveira (PSL), protagonizou mais uma de suas cenas de babaquice explícita. Dessa vez, Daniel Silveira, tentou se livrar da prisão, pulando o muro de sua casa, mas deu de cara com um policial federal do outro lado do muro e foi parar mais uma vez numa cela do Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar, em Niterói. Silveira foi preso de novo por desrespeitar o uso da tornozeleira eletrônica por cerca de 30 vezes.

Mas ficar pulando o muro pra fugir da polícia num é coisa de bandido, nobre deputado? Se fosse um dos cidadãos do Rio de Janeiro, sendo visto pulando um muro, em uma das tantas operações feitas pela polícia nas favelas, levava era bala, sem nem perguntar do que o morador da casa estava fugindo. Ainda mais se o policial que estivesse na operação fosse Daniel Silveira.

No período em que ele foi policial militar no Rio de Janeiro, entre 2012 e 2018, Daniel Silveira, vez por outra ia parar na prisão. Ele foi alvo de 60 sanções disciplinares e, em sua ficha policial, a própria corporação diz que ele tinha “mau comportamento”. Ele foi considerado inadequado para o serviço policial militar, segundo boletim da polícia – essas informações fazem parte da biografia e trajetória política de Daniel Silveira que estão na Wikipédia.

O próprio deputado Daniel Silveira fala de seu “currículo” como PM em um vídeo em que debocha do ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Alexandre de Morais. “Ministro, você está entrando numa queda de braço que você não pode vencer. Não adianta você tentar me calar. Eu já fui preso mais de 90 vezes na Polícia Militar do Rio de Janeiro”, se gaba o parlamentar.

Daniel Silveira, assim como seu líder político – preciso falar quem é? não ficou conhecido pela autoria de projeto importantes para a população em seu trabalho legislativo. Daniel Silveira é protagonista de situações de violência, humilhações, falta de civilidade e total desrespeito às Leis.

Daniel Silveira é o mesmo que publicou um vídeo nas redes sociais quebrando uma placa em homenagem à vereadora Marielle Franco meses após seu assassinato, em março de 2018.

No dia em que foi preso pela polícia, Daniel Silveira esculachou com palavrões e humilhou uma policial que apenas disse que o uso da máscara era obrigatório dentro do prédio do IML, pra onde foi levado pra fazer exame de corpo e de delito. Ele fez o mesmo ao ser impedido de entrar em um avião sem máscara.

O deputado é alvo de dois inquéritos no STF, um em que aparece como integrante de grupos que organizam atos antidemocráticos e outro em que faz parte de organizações que espalham as chamadas fake News – se fosse um de nós do Zé Povinho, já seria acusado de formação de quadrilha. Relator um a um os ataques de babaquice explícita do deputado tornariam esse texto cada vez maior, por isso vou parando por aqui.

Só tenho mais uma coisa a dizer, algo que sempre me vem à mente quando ouço alguma coisa sobre Daniel Silveira. Ele que apoia a volta da ditadura e é um defensor do AI-5, o ato mais duro do período da Ditadura Militar que acabou com quaisquer garantias constitucionais e institucionalizou a tortura, dê-se por feliz de ela não existir.

Por causa disso, Daniel Silveira não vai parar num porão sujo com ratos e baratas, e nem vai passar por afogamentos e choques elétricos mesmo desrespeitando a Constituição e o Estado Democrático de Direito.