Matadores da FDN presos com corpos no carro conseguiram fugir com menos de um mês que estavam na cadeia

matadores

Não passaram nem um mês na cadeia os pistoleiros da facção criminosa Família do Norte (FDN), Leonardo Almeida de Souza, de 22 anos, Marcos Henrique Neves de Lima, 28, e Tiale Ferreira da Silva, 30, o “Tcha-tcha” presos em flagrante na noite do dia 9 do mês passado quando se deslocavam em um Peugeot, de cor preta e placas JXN-8011 e a polícia encontrou os corpos de Carlos Alberto de Souza Paco, o “Careca”, e Leandro Pereira de Aguiar, no porta-malas e outro no banco traseiro do veículo.

Leonardo, Marcos Henrique e Tiale, desapareceram de suas celas na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde deram entrada dia 9 do mês passado e de onde conseguiram fugir na madrugada do último domingo (30/11) para voltarem a trabalhar como soldados do tráfico de José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, líder da FDN..

A fuga da madrugada de domingo foi confirmada pela assessoria da Secretaria de Justiça, mas que não sabia informar os nomes dos foragidos. Porém nas redes sociais e de whatsApps todos afirmam que os pistoleiros da FDN já estão nas ruas de Manaus a serviço da facção criminosa que comanda o tráfico de drogas em Manaus.

Dívida levou a execução

Em depoimento delegado Pablo Geovanni, do 9º Distrito Integrado de Polícia, Marcos e Leonardo disseram que as vítimas estavam devendo, há seis meses, R$ 50 mil referente a compra de 10 quilos de cocaína na feira da Manaus Moderna, e ainda não tinham feito o pagamento, então a ordem foi executá-los.

Ele contaram que um homem identificado como “Pará” foi quem determinou a invasão a casa das vítimas no Parque Mauá, o sequestro, tortura e a  execução.

Nos depoimentos os acusados afirmam que depois de sequestrarem Leandro e Carlos Alberto, os levaram para dar uma volta na cidade para saber se eles iriam pagar os R$ 50 mi que estavam devendo a FDN. Ao perceberem que as vítimas não iam pagar a dívida resolveram matá-los.