Médico acusado de estuprar pacientes é denunciado pelo Ministério Público

Divulgação/MPE

O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou à Justiça o médico clínico geral, Júlio Adriano da Rocha Carvalho, por crime de estupro contra duas pacientes dentro do consultório durante atendimento médico, em Manaus. A denúncia foi assinada pelo titular da 92ª Promotoria de Justiça  Edinaldo Aquino Medeiros, que concedeu, nesta sexta-feira (6), uma coletiva de imprensa realizada na sede do órgão ministerial, na zona Oeste.

Ele explicou que, mesmo já havendo uma terceira vítima que procurou a Polícia, por uma questão de celeridade, decidiu oferecer denúncia pelos dois primeiros casos, e aditar denúncia, acrescentando vítimas que procurem a Polícia ou o MPE.

“É uma situação bem grave, crimes graves, com penas severas. Como eu busco a eficiência e a celeridade, entendo prudente, conveniente, fazer logo a denúncia para que o processo não ficasse parado. A denúncia foi recebida, portanto, hoje ele é réu”, disse Medeiros.

Para o promotor, o fato dos estupros terem sido praticados por um servidor público e dentro do consultório, embora não sejam agravantes legais, pioram a situação do réu pela fragilidade das vítimas na condição de pacientes que têm plena confiança nos profissionais da classe médica. “A situação de ser paciente, de ter acontecido dentro do consultório, com portas fechadas torna a vítima mais vulnerável”, argumentou.

Medidas 

Por conta das denuncias, o médico foi suspenso de atender em unidades das redes pública e privada. Além disso, ele terá que entregar o passaporte e será monitorado por tornozeleira eletrônica. 

Segundo Medeiros, até o momento tais medidas são suficientes, pois, além de só haver denúncias de prática dos delitos dentro do consultório e também de não haver relatos de ameaças a testemunhas. “Em princípio, o Ministério Público entendeu que era suficiente, mas não descarta a adoção de novas medidas”, finalizou o promotor.

Com informações da assessoria do MPE.