Médicos parados, sem medicamentos, sem exames…Francisca Mendes em colapso, diz denúncia 

Foto: reprodução

Denúncias feitas ao Radar mostram que a unidade hospitalar que é referência em cirurgias cardíacas na região norte, o Hospital Francisca Mendes, estaria em colapso. As informações preocupantes são confirmadas pelo deputado estadual Wilker Barreto que tem ido as mais diversas unidades hospitalares do Estado para fiscalizar os serviços de saúde que estão sendo prestados à população. As notícias dão conta de que, há três semanas, os médicos neurocirurgiões estão em greve sob alegação de que não recebem seus salários desde maio do ano passado, sem contar com a segunda parcela do décimo terceiro que também não foi paga.

Segundo a denúncia, os neurocirurgiões atendem na Hemodinâmica todas as quarta-feiras os pacientes vindos do Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, na zona Leste. “No local, eles realizam procedimentos de embolização, angiografia de pacientes que sofreram de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ou seja, os pacientes do João Lúcio estão na fila aguardando sem realizar esses procedimentos”, diz a mensagem enviada ao Radar.

Além disso, explica o deputado Wilker Barreto, as cirurgias cardíacas também não estão sendo realizadas dentro do número normal, por falta de medicamentos e Órteses Próteses e Materiais Especiais (OPME). Uma lista com 106 materiais hospitalares mostra que está faltando de tudo no Francisca Mendes, desde agulhas descartáveis e álcool, até coletor de urina, dreno, lâmina de bisturi, fio cirúrgico e medicamentos, amitriptilina, protamina, verapamil, omeprazol, entre outros.