Anúncio Advertisement

Megaoperação contra a pedofilia prende estudante do curso de Direito, em Manaus

Um estudante universitário de Direito, de 23 anos, foi preso em flagrante, na manhã desta sexta-feira (20), durante a megaoperação ‘Luz na Infância’, de combate à pedofilia, deflagrada pela Polícia Civil do Amazonas e Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJ). Além do jovem, um homem de 49 anos, também foi preso, e outras onze pessoas foram conduzidas à Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), para prestarem esclarecimentos.

Além de Manaus, a operação foi desencadeada em 23 estados e no Distrito Federal (DF) é considerada uma das maiores do mundo no combate à pedofilia. Segundo o Ministério da Justiça, o número de pessoas presas chegou a 108, durante o cumprimento de 178 mandados de busca e apreensão. Os detidos são suspeitos de disseminar pornografia infantil e pedofilia na internet e, em alguns casos, eles eram os responsáveis pela produção do material pornográfico.

Na capital amazonense, a operação foi coordenada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Mariolino Brito; delegado-geral adjunto, Antônio Chicre Neto; e pelo diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), delegado Geraldo Eloi, e a delegada Juliana Tuma, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Ao todo, 50 policiais civis que atuam na Depca, Delegacia Interativa (DI), Delegacia Especializada em Crimes contra o Turista (DECCT), Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS), 1º, 7º, 12º, 17º e 24º Distritos Integrados de Polícia (DIPs), além de integrantes da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai)i, participaram da ação, que teve por objetivo apurar crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes em todo o País.

Ao longo da operação, de cinco mandados de busca e apreensão, um estudante finalista do curso de Direito e um homem desempregado foram presos em flagrante. Além deles, outras nove pessoas suspeitas foram detidas. Materiais de informática e computadores, onde estava armazenados os conteúdos ilícitos foram recolhidos pelo Instituto de Criminalística (IC), onde irão passar por perícia técnica.

As ações policiais ocorreram nos bairros Colônia Oliveira Machado, na Zona Sul; Cidade Nova e Lago Azul, na Zona Norte; Parque Dez de Novembro, na Zona Centro-Sul; e bairro Redenção, na Zona Centro-Oeste. Os documentos foram expedidos pelo juiz Eliezer Fernandes Júnior, no Plantão Criminal.

Os alvos da operação foram identificados por meio do levantamento de informações realizados pela Senasp e a Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil – Adidância da Polícia de Imigração e Alfandega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement-ICE). Os trabalhos de investigação duraram seis meses, onde foram rastreados 151.508 arquivos. Ao todo, foram deflagradas a operação, foram cumpridos 113 mandados de busca e apreensão, que resultou em 108 flagrantes.