Melo anuncia apoio da polícia que faz politica, a mesma que homenageia e posa pra foto com Braga

melo pms

Policiais civis com Melo

braga pms

Policiais civis com Braga

Na atual administração estadual, a área de segurança pública tem se esmerado em fazer política com a devida aquiescência do governador do Estado, e candidato à reeleição José Melo. Enquanto o povo na rua pede socorro, sendo assaltado em pontos de ônibus, ou dentro dos coletivos, enquanto nos terminais delinquentes fazem arrastões aterrorizando as pessoas, enquanto cidadãos que pagam seus impostos estão vendendo suas casas e seus comércios em diversos pontos da cidade para não serem assaltados e mortos, enquanto nossos filhos não têm direito a ter sequer celular nessa cidade porque quadrilhas agem livremente roubando nossos adolescentes e fazendo a venda ilegal desses aparelhos, o governador do Estado e candidato faz questão de cooptar entidades representativas de policiais civis e militares e anunciar apoio à sua candidatura, como ocorreu neste domingo (24), quando sua assessoria, enviou matéria aos veículos de comunicação anunciando o apoio do SInpol/AM (Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Amazonas) e da Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Amazonas), a mesma entidade que esteve em Brasília para fazer homenagem e entregar medalha de honra ao mérito “Senador Delegado Romeu Tuma” para  senador Eduardo Braga, por “relevantes serviços prestados à Associação dos Delegados de Polícias do Brasil (Adepol Brasil)”.

E enquanto delegados de policia, como o diretor da Adepol, delegado Sandro Sarkis, ou o presidente da entidade, delegado Mário Aufiero, se preocupam em fazer marketing político, resta aos cidadãos de Manaus perder o pouco que ainda têm, comprado a peso de muito trabalho e sacrifício, e nem ir prestar queixa em delegacia porque não vão encontrar quem investigue esse tipo de ocorrência, já que nem tem muita importância nas quase diárias estatísticas de queda da violência que o Governo faz questão de também usar como marketing político.

E nem precisa ser repórter pra confirmar essa realidade. Basta puxar conversa com uma pessoa na rua que tenha sido assaltada e perguntar: Você fez ocorrência do roubo? E vai ouvir um sonoro não, com a devida explicação logo em seguida: “Não vai adiantar mesmo”. E o pior que não tem sido diferente nas hostes militares. O que foi um momento histórico dos praças da Polícia Militar do Amazonas que paralisaram atividades por melhores condições de trabalho e de salários, e reconhecimento profissional com as devidas promoções – com total e irrestrito apoio do Radar – se transformou numa troca de favores políticos, com a existência de um candidato a deputado da tropa, redução de horário de trabalho dos policiais, sem reposição de efetivo, ou seja sem a contratação de mais policiais militares, o que enfraquece a segurança em diversos bairros da cidade, e deixa o povo à mercê dos bandidos. Visivelmente, o governador se curva a todas as exigências daqueles que se dizem líderes de entidades que representam policiais militares, pensando apenas nos votos que conseguirá com os policiais do Ronda no Bairro como seus cabos eleitorais.

Mas, o governador e candidato, José Melo, não está contando com o fato de que já há grande parte da população se perguntando se foi pra isso, pra servir politicamente, que o ex-governador Omar Aziz, seu principal aliado político, criou o Ronda no Bairro, ou se mesmo a ideia tendo sido concebida com bons propósitos, se foi desvirtuada por falta de competência, de autoridade, ou até apenas para servir mesmo de barganha política para sua eleição e de seu senador Omar Aziz.. E aí, assim como temos sido abandonados ao léu, sem segurança por parte do Governo, acabará provando do mesmo abandono, só que dessa vez nas urnas.(Any Margareth)