Melo assume o Governo “rasgando” elogios a Omar e chamando Amazonino de “meu pai político”

posse de melo

A partir desta sexta-feira (04) José Melo é o governador do Amazonas. A posse foi no Teatro Amazonas com a presença de autoridades civis, militares e eclesiásticas. José Melo foi empossado no cargo após renuncia do então governador Omar Aziz que vai disputar uma vaga para o Senado Federal, nas eleições de outubro desse ano.

Em seu discurso de posse duas pessoas foram as mais citadas por Melo, o agora ex-governador Omar Aziz e o ex-prefeito Amazonino Mendes que estava presente à solenidade. Melo disse ter rasgado vários discursos que escreveu pelo nervosismo de pensar a todo instante como poderia se equiparar ao seu antecessor, Omar Aziz, destacando realizações da administração da qual fez parte como vice-governador.

Dedicou boa parte do seu discurso para lembrar que iniciou sua vida pública quando foi escolhido por Amazonino Mendes para secretário de Educação do Estado e chegou a fazer uma “mea culpa” publicamente, dizendo ser o culpado por seis anos de distanciamento de Amazonino Mendes, justificando-se porque isso seria resultado de inexperiência, por “ser muito jovem”, o que o teria levado a não medir consequências em seu desejo de querer chegar ao Governo do Estado – o episódio que o fez romper com Amazonino Mendes foi em 2002 quando minutos antes da convenção que iria homologar seu nome como vice de Braga, foi preterido por Amazonino que o substituiu por Omar Aziz.

Melo disse ainda que Amazonino é um dos maiores intelectuais que ele conhece. “Um humanista, meu pai político”, arrematou, Melo passou anos se dizendo traído por Amazonino e vice-versa. Ele garantiu que os próximos 90 dias serão só de trabalho, deixando entender que não pretende tratar de campanha política nesse período. (Any Margareth)