Melo conta que praticou crime de “advocacia administrativa” junto ao TJAM para intervir em Coari e o “beneficiado” é um empreiteiro (ver vídeo)

O crime de advocacia administrativa, é “a utilização indevida das facilidades do cargo ou função pública para defender interesses próprios ou de outrem, não importando se esses interesses são legítimos ou ilegítimos”. Esse crime está previsto no artigo 321 do Código Penal Brasileiro e é passível até mesmo de detenção, com pena que chega a 3 anos de cadeia, e mais multa, caso o agente público defenda interesses ilegítimos, como por exemplo, beneficiar interesses privados. Pois foi isso que o governador e candidato à reeleição, José Melo (PROS) confessou publicamente ter feito, durante comício em Coari, na noite de sábado passado (27) e ainda utilizando o nome da presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo como testemunha do que praticou.

Ele diz que já esteve três vezes no TJAM pressionando para acelerar o processo de intervenção em Coari. “A desembargadora Graça Figueiredo, presidente daquela Corte sabe disso”, conta Melo. E vai além, dizendo ainda que esteve com o desembargador-relator do processo (João Simões). “Eu pedi a ele que apressasse o julgamento e ele me disse que na próxima segunda-feira (29) – o que corresponde ao dia de hoje – irá levar a pauta esse julgamento. Se na segunda-feira, o tribunal julgar – o governador Melo não sabe que o pleno do TJAM só se reúne às terças-feiras?  – pela intervenção garanto a vocês que, na terça-feira estarei assinando o decreto de intervenção”.

E, pelo visto a pressão que Melo contou em praça pública ter feito no TJAM parece ter surtido efeito porque o processo que trata da intervenção em Coari já foi colocado em pauta pelo relator João Simões para amanhã, terça-feira (30). As perguntas que não querem calar são: mesmo incorrendo em crime de advocacia administrativa, porque o governador Melo não fez isso antes já que a intervenção em Coari, desde a prisão de Adail Pinheiro, em fevereiro desse ano, vem sendo uma grita da sociedade? Por que está fazendo tanta pressão uma semana antes do dia da votação em primeiro turno eleitoral? O Radar, pode ter certeza, vai procurar as respostas – e com a devida ajuda dos nossos leitores de Coari vai achar né mesmo gente?

Mais um fato importante o Radar já captou! Melo disse quase ao final do comício em Coari, que já tinha “na cabeça” o nome do interventor escolhido para assumir a Prefeitura do município mais rico do interior do Estado e confidenciou isso para lideranças políticas de Coari que lhe apoiam. Ele é empreiteiro, proprietário da Gad Engenharia, Gilberto Aves de Deus. (Any Margareth)