Melo e Artur: racha ou pura encenação?

melorachaarthur

Com a cautela que a situação requer, o Radar tem segurado a dois dias informações que têm sido transmitidas sobre um possível racha entre o prefeito Artur Neto (PSDB) e o governador e candidato à reeleição, José Melo (PROS). Afinal, uma das premissas básicas do jornalismo é checar as informações, e quem sabe até as intenções de quem repassa essas notícias. Mas, já não dá mais pra segurar, porque aqui no Radar temos como uma das normas não esconder nada dos nossos leitores, e eles são a razão maior da nossa existência, não é mesmo? A primeira notícia que chegou foi sobre uma reunião realizada pelo prefeito Artur Neto com os coordenadores da campanha vitoriosa de seu filho para deputado federal, o deputado estadual Artur Bisneto, onde também estavam presentes correligionários do prefeito e até mesmo parlamentares eleitos pelo PSDB.

Nessa reunião que teria durado horas, o que se soube, é que nem por uma única vez o prefeito Artur Neto teria citado o nome do governador José Melo. Pelo contrário, o prefeito teria deixado bem claro que o encontro era exclusivamente para tratar da campanha de Aécio Neves para o segundo turno eleitoral. Daqui a pouco chega mais uma informação: Artur teria mandado arrancar todas as placas de propaganda política espalhadas pela cidade onde aparecia apresentando o governador como seu candidato. A explicação para tais atos do prefeito, segundo as fontes, seria o fato do governador ter prometido desde o primeiro turno manifestar seu apoio ao presidenciável tucano e continuar como se chama popularmente, fritando Artur em banho-maria, empurrando a situação com a barriga e se dando bem nas urnas, enquanto o prefeito acumula um desgaste gigantesco com a cúpula do PSDB nacional que tem manifestado estranheza com o acordo feito pelo coordenador de Aécio no Amazonas, no caso o prefeito Artur Neto, com o governador do Estado. E nem só com Melo, o prefeito já estaria “pelas tamancas”, já que seu candidato (e de Melo) ao Senado, Omar Aziz, nome e número que ele (Artur) apareceu repetindo inúmeras vezes na Propaganda  Eleitoral, não deu um tico de confiança ao presidenciável tucano, o nome e número de Aécio Neves sequer apareciam no canto da TV na hora da propaganda.

Aécio teve uma votação pífia no Amazonas, perdendo até mesmo para Marina Silva que nem sequer foi para o segundo turno. E, na possibilidade de Aécio ganhar a Presidência da República, como fica a influência de Artur que deu pouca ou nada contribuição para seu presidenciável no processo eleitoral? Essa pergunta estaria batucando na cabeça de Artur Neto, que até pouco tempo era uma das figuras mais influentes do PSDB nacional. E a insatisfação de Artur teria ficado ainda pior ao saber que Melo e Omar teriam comentado que o melhor era permanecerem em cima do muro para manter os votos, tanto de Aécio quanto de Dilma, na votação do segundo turno no Amazonas.

“Mas, quer dizer, que eles estão pensando que os votos que tiveram na capital, foram conquistados por eles mesmos, é isso?”, teria questionado Artur Neto com cara de poucos amigos. Porém, como o Radar sempre busca ouvir aqueles que são conhecidos por entenderem bem o jogo político, fomos logo entrando em contato com uma dessas figuras que fez o seguinte comentário: “É bom checar e analisar todos os fatos porque determinados políticos são hábeis em iludir. O discurso nem sempre tem a ver com a ação, e vice-versa. O prefeito pode estar apenas no campo da ameaça, ou tentando provocar qualquer que seja a reação de Melo para a partir disso agir, ou ainda dando demonstrações à cúpula do seu partido de que está incondicionalmente com o presidenciável tucano, e quem sabe ainda tentando conquistar a simpatia (e votos) dos eleitores de Braga demonstrando que ficará neutro para a disputa ao Governo, e por último pode ser uma racha mesmo. A resposta está em analisar as ações daqui por diante”.(Any Margareth)