Mesmo com aumento da arrecadação no Amazonas, Wilson Lima quer contrair dívida de 1,5 bilhão com o Banco do Brasil

Foto: Secom

Na contramão dos constantes excessos de arrecadação no Amazonas, o governador Wilson Lima (PSC), enviou à Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) na segunda-feira passada (29), a Mensagem Nº 071/2021, que autoriza o Poder Executivo a fazer um empréstimo de R$ 1.500.000.000,00 (um bilhão e quinhentos milhões de reais), com a justificativa de contribuir para a ‘recuperação econômica’ do Estado, um argumento que contraria dados apresentados pela própria Secretaria da Fazenda (SEFAZ). Para contrair a dívida bilionária em nome do Amazonas, o governo de Wilson Lima precisa de autorização do Poder Legislativo estadual. (ver mensagem governamental no final da matéria)

Conforme o Relatório de Gestão Fiscal do Amazonas da Sefaz, divulgado no dia 11 deste mês, o estado apresentou uma redução expressiva na dívida consolidada e um aumento de 13% na arrecadação do primeiro quadrimestre de 2021, se comparado com o mesmo período do ano anterior.

Em discurso feito no mês de abril, da tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas, o deputado Dermilson Chagas (Podemos) ressaltou a contradição entre os constantes superávits na arrecadação do Estado e os discursos do governador que vive justificando a inoperância do seu governo falando de falta de recursos e dificuldades financeiras.

“O bom cenário financeiro desmonta o discurso falso pessimista do Governo do Amazonas em relação a uma falta de recursos, que inexiste. Aliás, os recursos sobram em caixa e facilitam, mas obrigam o governador a apresentar as soluções que se prestem a sanar, além do combate à terceira onda da Covid-19, os graves problemas que se avizinham com aproximação de uma grande enchente. São previsões que assustam e exigem ações públicas emergenciais de ajuda aos municípios ameaçados, principalmente aqueles que têm na agricultura, pesca e pecuária as suas principais atividades econômicas”, disse o parlamentar.

Já o economista e auditor fiscal, deputado Serafim Correa demonstrou que até setembro do ano passado, por exemplo, o excesso de arrecadação do Amazonas tinha atingido R$ 2 bilhões. Segundo Serafim, o problema do governo de Wilson Lima não é falta de dinheiro, ms sim onde o dinheiro dos cofres públicos está sendo gasto. “A CPI da Saúde identificou esquemas tenebrosos que merecem ser apurados pelos órgãos de controle”, avaliou o parlamentar.

Bom lembrar que estamos há pouco mais de um ano de eleições estaduais e, caso não seja reeleito, Wilson Lima deixará o Estado com um dívida bilionária a ser administrada pelo próximo governador e a ser paga pelos cidadãos do Amazonas.

Ver mensagem na íntegra