Mesmo com proibição eleitoral, Amazonino distribui R$ 1,9 milhão pelo programa “Renda Certa” (ver vídeo)

Com investimentos de R$ 1,9 milhão feitos com recursos dos cofres do Estado, o governador Amazonino Mendes entregou, no Centro de Convenções Vasco Vasques, nesta terça-feira (03), cheques e cartas de crédito pelo “Programa Renda Certa”, que é coordenado pelo Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza”, presidido pela sobrinha do governador, Monica Mendes, assim como “cheques simbólicos” para 14 ex-detentos do “Programa Reintegrar” que, segundo o próprio governo, “é fruto de uma parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)”. No total, 500 pessoas receberam financiamentos do Programa Renda Certa.

Informações do próprio governo também apontam que já foi gasto um montante de R$ 2,3 milhões em financiamentos desse programa com recursos dos cofres públicos e foram beneficiadas até agora mais de 2,4 mil pessoas. Porém, o governo pretende gastar com o Renda Certa um total de R$ 38 milhões do orçamento do Estado “para financiar a aquisição de máquinas, equipamentos e capital de giro”. Só que, os programas do governador Amazonino Mendes estão na contramão do que determina a Justiça Eleitoral que proíbe entrega de bens, valores ou benefícios da Administração Pública em anos eleitorais”,

O Radar teve acesso permitido ao local do evento, inclusive à coletiva de imprensa feita pelo governador, mas ao ser questionado pelo Radar sobre o desrespeito a Lei Eleitoral Amazonino respondeu com ironia e rapidamente encerrou a coletiva.