Mesmo com sessões virtuais, Belão quer reunião plenária só as quartas-feiras “por causa da pandemia”

O governo de Wilson Lima escalou um antigo aliado de tudo que é Governo do Amazonas, o deputado Belarmino Lins, o Belão, pra tentar brecar a realização das sessões na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), visivelmente com o intuito de parar de levar tanta peia e de postegar a discussão e votação dos vários pedidos de impeachment que foram protocolizados naquela Casa Legislativa.

Em um requerimento (ver documento no final da matéria), datado desta quinta-feira (30), enviado à Mesa Diretora da Aleam, o deputado Belarmino Lins sugeriu que a Assembleia passe a realizar as sessões plenárias – mesmo que virtualmente, pelo computador, sem contato físico algum e total distanciamento social – apenas as quartas-feiras.

“Tendo em vista o agravamento da pandemia de novo coronavírus em nosso Estado, o que nos obriga, mais do que nunca, à observação das normas determinadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo próprio Ministério da Saúde, resolvemos propor que as nossas reuniões plenárias virtuais, a partir do próximo dia 4 de maio, sejam realizadas na quarta-feira de cada semana, cumprindo Pequeno Expediente, Grande Expediente e Ordem do Dia à luz do Regimento Interno que disciplina nossas atividades parlamentares a serviço da população amazonense”, tentou justificar o deputado.

Mas, com sessões virtuais, via internet, sem contato físico, o que justifica os parlamentares só se reunirem uma vez por semana? Nos bastidores da Assembleia, comenta-se que a real intenção é evitar o confronto direto entre o Legislativo e o Executivo – como já vem acontecendo diariamente – já que até mesmo deputados da base aliada do governador passaram a cobrar respostas sobre as ações do Governo no combate à covid-19 e vários pedidos de impeachment tramitam no Legislativo.

No documento, o governista vitalício, ainda tentou argumentar que os outros dias da semana podem ser utilizados pelos deputados para “outras ações de acordo com a agenda de cada parlamentar”. Mas não explicou o que justifica fazer trabalho legislativos só as quartas-feiras – olha que é virtualmente! – e ainda ganhar um salário bruto de mais de R$ 25 mil.

Leia o requerimento do deputado Belarmino Lins na íntegra.