“Meu amor, pense num passarinho voando”, disse Amazonino ao Radar descartando ser candidato (ainda) nas eleições desse ano

IMG_6741

O clima de “só Love” que tem sido apontado pelo Radar entre Braga e políticos locais que antes viviam as turras com ele – exemplo de Praciano e Alfredo Nascimento – esteve presente até nas respostas dadas por Amazonino  ao Radar – ainda bem que “só love” sobrou pra nós também porque chegamos a pensar que levaríamos um “passa fora” com determinadas perguntas. Ao ser questionado pelo Radar se iria ou não “definir  candidatura ou ia continuar mantendo o suspense”, Amazonino deu a entender estar se sentindo livre, sem muitas preocupações com disputa de um cargo nas próximas eleições. “Meu amor, pense num passarinho voando”, disse Amazonino definindo seu atual momento político.

Ele acrescentou: “ Na verdade, meu amor, eu sou um homem cheio de gratidão pelo nosso povo. Se você prestar atenção, eu tive uma carreira meteórica, fulgurante, muito maior do que eu merecia, pela bondade, pela generosidade do nosso povo. Eu fui prefeito com 43 anos, o Dudu naquela época tinha 20. Nesse espaço de tempo fui governador três vezes, fui senador da República, fui prefeito três vezes. Cheguei a ser recorde no livro Guinness Book (livro mundial dos recordes) – pela quantidade de mandatos seguidas vezes. Cheguei a ser recorde mundial, lembra disso? (perguntou Amazonino se dirigindo a Braga). Então eu não tenho mais o que pedir (ao povo), eu tenho é que dar”, avaliou.

Segundo Amazonino, seu encontro com Braga teria sido fruto de projetos que eles têm em comum. “Meu encontro com Eduardo Braga foi inspirado nesse sentido, num programa possível de execução onde, graças a Deus, nós todos concordamos. Impressionantemente houve uma confluência de entendimento quase que milagrosa” , contou Amazonino, destacando sua surpresa com o entendimento com Braga sobre programa de Governo, ao lembrar que os dois já estiveram em pé de guerra por causa de divergências de opinião. “Cabe a nós políticos levantarmos as questões ( do Plano de Governo) de forma consciente, de uma vez por todas tentarmos discutir isso com a população. Fazermos um programa de televisão digno, correto, decente, verdadeiro e concreto. É esse o meu papel”, argumentou.

Amazonino assegurou ter se resumido em falar com Braga de seus planos para o Estado. “Em nenhum momento o Eduardo ouviu: Vou te apoiar, mas eu quero isso, quero aquilo, quero ser vice, quero ser senador. Nossa aliança é uma aliança santa, digna. Ele está com a cabeça erguida, e eu também”, afirmou. (Any Margareth)

Foto: Zezinho Rodrigues