Michelle Obama diz que enfrenta uma “leve depressão” por quarentena

(Anda Chu/Digital First Media/The Mercury News via Getty Images)

Michelle Obama revelou os efeitos negativos que os acontecimentos dos últimos meses, como a pandemia do coronavírus, afetou sua saúde mental. Em seu podcast, a ex-primeira-dama afirmou que passa por uma “depressão leve”, atribuindo à quarentena e o movimento Black Lives Matter.

“Houve momentos nessa quarentena em que eu apenas me senti muito triste. Eu passei por esses altos e baixos emocionais, que eu acho que todo mundo sente, em que você apenas não se sente como você mesma. E eu já passei por semanas em que eu apenas tive que me entregar a isso e não ser tão dura comigo”, contou ela em uma conversa com a jornalista e sua amiga Michele Norris.

Segundo ela, sua rotina de exercícios durante o isolamento social está ajudando a manter sanidade, assim como aconteceu na época em que Barack Obama era presidente dos Estados Unidos, entre 2009 e 2017.

“Barack e eu vivemos fora da ‘norma’ de uma vida comum por um grande período e o que aprendemos em pouco tempo na Casa Branca é que, para permanecermos sãos e nos sentirmos como as pessoas que sempre fomos, tínhamos que ter uma agenda e uma rotina. Mas agora o meu sono está desregulado, que é algo que eu ouvi de várias pessoas”, contou Michelle.

“Espiritualmente esses não são tempos agradáveis. Então, eu sei que estou lidando com alguma forma de uma depressão leve, não só pela quarentena, mas pelo conflito racial e também a convivência com essa administração, assistindo a hipocrisia no dia a dia”, finalizou.

O The Michelle Obama Podcast estreou no último dia 29 de julho, exclusivamente no Spotify. Nele, Michelle entrevistará familiares, como sua mãe e irmão, amigos e celebridades.