Milagres de Victor, cinco bolas na trave e dois gols: Vasco e Atlético-MG empatam no Rio

Com cinco minutos, uma boa chance para cada lado. Com seis, a primeira bola na trave. O início do primeiro tempo foi um prenúncio do que seria o jogo. E o ritmo permaneceu o mesmo. O Vasco foi melhor, criando mais e tendo as melhores chances. Merecidamente, conseguiu o gol. Em um lance de escanteio, Andrés Ríos antecipou Fábio Santos e guardou de cabeça. O Atlético finalizou duas vezes na trave, mas o time da casa, pelo volume que teve, mereceu a vitória parcial por 1 a 0.

SEGUNDO TEMPO

Na etapa final, o panorama mudou. O Atlético-MG voltou melhor, pressionando em busca do empate. Ele veio. Leonardo Silva trabalhou como um camisa 10 e deu boa assistência para Fred, que finalizou forte, cruzado, e empatou a partida. O Vasco retomou o domínio das jogadas de ataque e colocou – muitas vezes – o goleiro Victor para trabalhar. Por no mínimo cinco vezes ele salvou o Galo, que saía nos contra-ataques e também levava perigo ao gol de Gabriel Félix. O jogo se manteve emocionante até o fim, mas o placar não teve nova alteração. O fim de papo foi mesmo com o empate por 1 a 1.

MAIS UMA TENTATIVA…

O Vasco está batendo à porta do G-7, mas ele, teimoso, ainda não atendeu. Mais uma vez, uma vitória colocaria o time carioca no grupo que vai à Libertadores, mas o empate (segundo seguido) não foi suficiente. O Vasco fez um bom jogo. Foi muito superior na primeira etapa, fez o gol, teve várias chances de fazer mais um, mas não conseguiu – também, claro, pela grande atuação de Victor, goleiro do Atlético. A próxima tentativa será fora de casa: na próxima rodada tem o Furacão pela frente, em Curitiba.

Fonte: GE