Milhares de professores foram às ruas e tentaram entregar pauta de reivindicações ao prefeito e ao governador, mas não foram recebidos

Protesto-professores 1

Segundo estimativa feita por lideranças de entidades representativas dos profissionais da Educação no Estado e no Município, mais de cinco mil servidores foram às ruas nesta quarta-feira (30) em manifestação por melhores condições de trabalho e de salários. Eles tentaram entregar pauta de reivindicação da categoria ao prefeito, Artur Neto e ao governador, professor José Melo, mas não foram recebidos por eles.  No Paço Municipal ainda havia alguém escalado pelo prefeito para recebê-los, mas no Governo do Estado não havia ninguém, restando aos professores registrarem o documento no setor de protocolo.

Os servidores da Educação se concentraram na Praça da Polícia, de onde saíram aos milhares em passeata até o Paço Municipal. Lá foram recebidos pelo subsecretário de Administração e Finanças da Prefeitura, Luis Fabian Pereira Barbosa, que disse estar representando o prefeito Artur Neto. Houve uma reunião com a comissão do movimento “Educadores em Luta”, onde os servidores apenas ouviram a promessa de que haveria uma próxima reunião com o prefeito e o secretário de Educação do município, Humberto MIchilles.

De lá, eles seguiram em carreata até a sede do Governo onde, segundo as lideranças do movimento, não havia nem mesmo representante do governador professor José Melo para recebê-los. Os professores apenas protocolizaram a pauta de reivindicações. As lideranças da categoria disseram que estão extremamente insatisfeitas com o tratamento dado aos profissionais de Educação, determinando o dia 09 de maio como data limite para receberem uma resposta tanto do Governo quanto da Prefeitura. Caso não haja resposta, já está pré-agendada uma nova manifestação para o dia 16 de maio.

Protesto-professores 2

Protesto-professores 3

Protesto-professores 4

Protesto-professores 5