Ministério da Justiça suspende visitas em presídios federais

Foto: Marcello Casal Jr./Arquivo/Agência Brasil

O Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), suspendeu por 15 dias as visitas a presos que se encontram em unidades federais. A medida visa prevenir a disseminação do coronavírus dentro das penitenciárias. Em presídios de nove Estados e do Distrito Federal também já existem restrições. O Depen também suspendeu, por um período de cinco dias, os atendimentos de advogados dentro dos presídios federais. A exceção é para “necessidades urgentes” ou que envolvam prazos processuais não suspensos. Por conta da alta concentração de pessoas e das condições dos presos, o vírus pode se alastrar mais facilmente dentro das carceragens.

As medidas de prevenção do Ministério da Justiça estão em duas portarias divulgadas nesta segunda-feira, 16. Uma delas determina que servidores ou estagiários que tenham feito viagens internacionais, pessoais ou a trabalho, exerçam as atividades remotamente por 14 dias. Os funcionários que não conseguirem trabalhar a distância por conta da natureza da função terão ausências justificadas. Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes;

Nos Estados, também foram suspensas visitas em unidades prisionais de Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Goiás, Amazonas, Roraima, Tocantins, Alagoas e Distrito Federal. Em Minas Gerais e em Santa Catarina as visitas estão parcialmente suspensas nos presídios estaduais. Ainda de acordo com informações do Depen, Mato Grosso, Sergipe, Maranhão, Pernambuco e Paraná elaboraram notas técnicas com orientações sobre a doença. Há triagens de visitantes em Estados como Paraíba, São Paulo, Ceará, Piauí, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.