Ministério da Saúde não envia novas doses e vacinação de pessoas a partir de 50 anos segue sem previsão

(Foto: Altemar Alcantara/Semcom)

Após promessa do Ministério da Saúde para ampliação da vacinação no Amazonas a partir da próxima semana, a Prefeitura de Manaus informou, nesta-sexta-feira (19), que não será possível iniciar a imunização de pessoas de 50 a 69 anos, anteriormente prevista para começar na segunda-feira, dia 22. O Executivo Municipal afirma que não recebeu novas remessas de vacinas que tornassem possível ampliar a imunização.

A nota oficial da Prefeitura saiu após rumores de que o Ministério da Saúde tinha enviado um ofício à FVS explicando sobre novas remessas previstas para serem enviadas em fevereiro e março. Essas novas doses, segundo o ofício, iriam priorizar povos e comunidades tradicionais ribeirinhas, comunidades tradicionais quilombolas e trabalhadores de saúde, sendo que só depois que todos esses forem contemplados, é que serão vacinadas pessoas de 75 a 79 anos, pessoas de 70 a 74 anos, pessoas de 65 a 69 anos e pessoas de 60 a 64, seguindo essa ordem de prioridade.

“Ainda não será possível dar início à vacinação das pessoas de 50 a 69 anos, mantendo o atendimento dos grupos prioritários da primeira etapa: trabalhadores de saúde; idosos de 70 anos ou mais; idosos de instituições de longa permanência; pessoas com deficiência residentes em unidades assistenciais; e indígenas aldeados”, diz trecho da nota enviada à imprensa.

PMM disse, ainda, que não foi informada sobre a quantidade de doses que serão destinadas ao município nestes meses, e que continuaria a vacinação seguindo o plano para fechar a meta atual de vacinação. “A Prefeitura ainda não foi informada da quantidade a ser destinada ao município, mas, ainda assim, deu início ao reordenamento da campanha para fechar a etapa atual, garantindo a meta de imunizar 90% das populações contempladas e iniciar a nova etapa com novos fluxos e processos aprimorados. Até o momento foram vacinados 85,6% dos trabalhadores de saúde, 79,2% das pessoas de 70 a 74 anos, 81,8% das pessoas de 75 a 79 anos, e 87,1% das pessoas com 80 anos e mais, além de 67,2% dos indígenas aldeados.”

Na última segunda-feira, dia 15, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello havia dito, em evento com o governador do Amazonas e prefeitos de 13 municípios da Região Metropolitana de Manaus, que o Amazonas seria o primeiro Estado brasileiro a vacinar toda a população e que, a partir de segunda-feira, 22, esses municípios começariam a vacinar pessoas de 50 a 69 anos de idade, porém não passou de promessas.