Ministro Rossieli Soares será nomeado como secretário de Educação de São Paulo

O atual ministro da Educação do governo Michel Temer, Rossieli Soares, será o secretário de Educação de São Paulo. O governador eleito João Doria fez o convite esta semana e ele será apresentado nessa terça-feira (6), com outros integrantes da equipe, como Sérgio Sá Leitão, atual ministro da Cultura de Temer, que vai assumir a secretaria de Cultura.

Rossieli Soares foi secretário de Educação do Amazonas e era secretário da Educação Básica durante a gestão de Mendonça Filho no MEC. Quando ele deixou o cargo para disputar as eleições no começo do ano, Soares se tornou o ministro.

Segundo interlocutores, o diretor do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves, que era cotado para o cargo de secretário paulista agora estaria entre os nomes para o ocupar o MEC no governo de Jair Bolsonaro. O Instituto Ayrton Senna nega que o convite tenha sido feito. Viviane Senna e Neves se encontraram com o presidente eleito antes mesmo do segundo turno. Doria disse que Mozart será presidente do Conselho de Educação e Viviane Senna fará parte da equipe. “Não haverá remuneração”, informou.

O governador eleito afirmou que não vai “pensar pequeno” em seu governo. “Vamos pensar global”. A primeira reunião da transição ocorre nesta tarde, no Palácio dos Bandeirantes. Doria descartou convites a outros nomes de peso, como o presidente Michel Temer e o ex-governador Geraldo Alckmin. “Temer e Alckmin têm todas as qualificações, mas nenhum dos dois foi convidado para ocupar secretaria “, disse.

Soares esteve à frente das principais políticas educacionais no governo Temer, como a reforma do ensino médio e a finalização da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Em São Paulo, terá o desafio de melhorar a aprendizagem das crianças e adolescentes, cujos resultados de avaliações têm ficado abaixo de Estados com menos recursos. Após o anúncio, Soares afirmou que o projeto Escola sem Partido é “desnecessário”. “Já temos mecanismo para impedir a partidarização”, avaliou.

A rede estadual tem hoje cerca de 3,5 milhões de alunos e é a maior do País. Nos resultados deste ano do Sistema de Avaliação de Educação Básica (Saeb), o ensino médio público paulista aparece apenas na 7.ª e na 11.ª posições no ranking de Português e Matemática, respectivamente. Fica abaixo de Estados com menor nível socioeconômico como Rondônia e Mato Grosso do Sul.

O novo secretário tem 40 anos, é formado em Direito e entrou para a administração pública como assessor jurídico na Comissão Geral de Licitação do Estado do Amazonas, em 2008.

Cultura

Já o ministro Sá Leitão será próximo secretário de Cultura de São Paulo. Politicamente, ele tem afinidades com Doria e com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). O ministro chegou a titular do MinC com apoio do MDB, embora não seja filiado. Ele foi secretário municipal de Cultura do ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) e diretor da Agência Nacional do Cinema (Ancine).

“Sou a favor do Escola sem Partido. Esse projeto não pode ser fator de restrição à pluralidade, mas há casos preocupantes de salas de aula que viraram palanques eleitorais”, disse Sá Leitão.

Fonte: Estadão