Morador do Viver Melhor denuncia situação de perigo com rachaduras e infiltrações em apartamento (ver vídeo)

Geovani Leite

“Entramos em contato com todos os órgãos e empresas, mas nenhum deles faz nada. Esse é um problema urgente, temos vidas em perigo”, disse Gilson Nascimento em tom de indignação ao denunciar ao Radar, nesta sexta-feira (6), a situação de perigo e descaso que vivencia em sua residência localizada no Viver Melhor do bairro Lago Azul, zona Norte de Manaus.

De acordo com ele, a estrutura de seu apartamento sofre com infiltrações e rachaduras há anos e nunca foi solucionada. Morador do local há pelo menos 9 anos, Gilson afirma que o apartamento sofre com os problemas de estrutura desde 2013.

Durante a transmissão ao vivo realizada hoje (6) pela reportagem, foi constatada a presença de diversas rachaduras na parte externa e interna do prédio. Além disso, a presença de grandes infiltrações nas paredes de um dos quartos (que agora é inutilizado por conta do problema) e até no banheiro da casa. Com isso, a estrutura do prédio está comprometida e corre risco de ceder e desabar.

“A vida da minha família está em perigo. Precisamos de ajuda antes que um desastre aconteça”, afirma Gilson que mora com a mulher e mais dois filhos. Ele ressalta que o perigo de desabamento das casas já chegou a ser constatado pela Defesa Civil do município.

“A Defesa Civil já veio aqui e condenou a minha casa e outros blocos.  Foi informado que o laudo foi enviado para a Caixa Econômica, mas que eles disseram que não farão nada”, revela o morador.

Entretanto, os problemas estruturais representam um perigo ainda maior na casa de Gilson, pois, seu filho mais novo possui complicações respiratórias desde que nasceu e o ambiente úmido e repleto de mofo agrava a doença.

“A pediatra do meu filho já falou que ele não pode ficar em ambientes assim. Apesar de ele se medicar e realizar o tratamento, a situação de saúde dele só vai ser resolvida quando ele não tiver mais contato contínuo com o mofo”, declarou Gilson.

Quarto da criança que não esta sendo utilizado

Ações judiciais

Quando o problema começou, Gilson entrou com uma ação individual na Defensoria Pública da União (DPU) para cobrar soluções da construtora responsável pelas obras, a Direcional Engenharia, e cobrar também a Caixa Econômica Federal, tendo em vista que a instituição financeira é uma das empresas que realiza o financiamento do programa de financiamento “Minha Casa, Minha Vida”.

“Na época, ganhei a ação que resultou em uma indenização de, aproximadamente, R$5 mil. Com esse valor comprei baldes de tinta para pintar as paredes infiltradas, mas só gastei dinheiro à toa, pois em 6 meses o problema voltou”, revelou Gilson.

Algum tempo depois, foi realizada uma Ação Civil Pública (ACP), mas dessa vez coletiva com denúncias de outros vizinhos que passam pelo mesmo problema. Entretanto, apesar da série de processos, os moradores ainda não receberam nenhuma resposta efetiva.

Apesar de todas as articulações feitas, os moradores do Viver Melhor do Lago Azul seguem sofrendo com a falta de infraestrutura em suas casas. Com o período da pandemia, os agravantes respiratórios se tornaram um problema ainda mais evidente e as famílias temem por sua saúde.

Nesse sentido, o Radar segue em busca de respostas para os problemas. A reportagem comparecerá à sede das instituições e órgãos responsáveis pelo conjunto habitacional para questionar que medidas serão tomadas para resolver a demanda da população.

Apartamentos do Viver Melhor correm risco de desabar devido infiltração na estrutura

Apartamentos do Viver Melhor correm risco de desabar devido infiltração na estrutura

Posted by Radar Amazônico on Friday, November 6, 2020