Moradores da Reserva Mamirauá estão esquecidos pelo Poder Público, afirma deputado

Cerca de 20 mil pessoas que moram nas Reservas de Mamirauá e Amanã sofrem com a ausência do Poder Público, de acordo com o deputado Luiz Castro (Rede). O parlamentar ouviu representantes comunitários que apontaram problemas como a pesca ilegal do pirarucu e de piracatinga. Esses representantes dos agentes da Associação dos Agentes Ambientais Voluntários (AAV) das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) de Mamirauá e Amanã apresentaram uma pauta de reivindicações, especialmente nas áreas da saúde, educação e segurança.

“Como a segurança é mínima nas Reservas, é frequente a invasão de áreas protegidas, especialmente das espécies protegidas no defeso, o comércio e captura de carne de caça e de quelônios e o uso sem controle da floresta. Iremos acionar novamente os órgãos responsáveis para que possam agir de forma correta nas RDS”, salientou Luiz Castro.

O parlamentar assinalou que irá levar as demandas para o Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas (Ipaam), o Ibama e o Batalhão Ambiental. Segundo o deputado, o Poder Público deve acompanhar as atividades e auxiliar os agentes ambientais voluntários na preservação da Reserva.

Lázaro Alcimar – presidente da AAV -, Noé Parente da Paz, Luiz Sérgio dos Reis e Munis da Silva Araújo apontaram 15 problemas na região da RDS. Na saúde, os moradores precisam deslocar-se para as sedes dos municípios; sobre educação, eles têm acesso à escola até à 5ª série do Ensino Fundamental.

De acordo com Munis Araújo, o apoio à fiscalização é uma das mais importantes demandas dos moradores. Os agentes constataram uso de embarcações pesqueiras sem documentação, o abate de botos e jacarés para serem usados como isca da piracatinga. Em alguns momentos, os invasores chegam a assumir posturas violentas.

“Protegemos e utilizamos os recursos de forma manejada e sustentável, porém vemos até o roubo de alevinos de aruanã, entre dezembro a maio. Nada disso é correto ou a favor da Lei e do Meio Ambiente, mas nós continuamos a preservar. Por isso, solicitamos apoio do Poder Público para que possamos ter qualidade de vida”, finalizou.

As Reservas de Mamirauá e Amanã estão nos municípios de Alvarães, Maraã e Uarini.