Moradores de Borba desconfiam de fraude nas eleições e fazem manifestação contra reeleição de Simão Peixoto (ver vídeos)

Foto: Reprodução internet

Inconformada com a reeleição do atual prefeito de Borba (distante 149 km de Manaus) Simão Peixoto (PP), a população foi às ruas nessa segunda-feira (16) para se manifestar contra o resultado.

O atual prefeito está no Poder Executivo Municipal desde 2016, e apesar das diversas acusações de irregularidades na administração pública nos últimos quatro anos de mandato, acabou sendo reeleito com 31,02% dos votos, o que despertou revolta e desconfiança da população.

Os eleitores lotaram as ruas de Borba com bandeiras e cartazes escrito “Fora Simão” e “Queremos uma nova eleição”.

Simão Peixoto disputou a prefeitura de Borba com outros quatro candidatos; José da Silva Maia (PTB) mais conhecido como “Baía”; Janio Santana (PT); Nildo Colares (PSL) e Raimundo  Santanda de Freitas (Republicanos), mais conhecido como “Toco Santana” .

Informações que chegaram ao Radar, dão conta, que um dos mesários da zona eleitoral do município, que não teve o nome divulgado seria uma pessoa próxima do prefeito. Moradores do município desconfiam de uma possível fraude nas eleições.

Crime eleitoral

No dia 4 de novembro de 2020, apenas 11 dias para eleições municipais, o Radar Amazônico veiculou uma denúncia feita pelos próprios moradores do município.

Um vídeo enviado a redação, é possível ver o secretário de saúde do município, Alberth Antunes, que é irmão da primeira-dama, Audiny Mirela, levando materiais agrícolas para a comunidade ribeirinha, no que se configura em captação ilícita de votos e abuso de poder econômico.

No vídeo, o secretário de saúde, juntamente com outros servidores do município, transportam maquinários agrícolas como roçadeiras à comunidade ribeirinha. Mas segundo informações que chegaram ao Radar, através de um morador do município que não quis se identificar por medo de represália, a prática de distribuir equipamentos em troca de votos é antiga.

Com essa ação, o irmão da primeira-dama de Borba, descumpre a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997 que prevê, no Art. 83 a proibição de “fazer ou permitir uso promocional em favor de candidato, de partido político ou de coligação, de distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social custeados ou subvencionados pelo Poder Público”.

Investigação

Em março de 2019, o Simão Peixoto se tornou alvo de uma investigação do Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas por não destinar o percentual mínimo de 30% dos recursos financeiros repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar (FNDE) para a merenda escolar que deveriam ser destinados à aquisição de alimentos da agricultura familiar.

Segundo documentos emitidos pelo Conselho de Alimentação Escolar (CAE), referentes às análises técnicas das prestações de contas sobre a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) no município de Borba, relativas aos anos de 2011 a 2013, foram constatadas irregularidades relativas à ausência de aquisição de gêneros da agricultura familiar com o percentual mínimo obrigatório de 30% e ausência de quadro técnico de nutricionistas.2011 a 2013, foram constatadas irregularidades relativas à ausência de aquisição de gêneros da agricultura familiar com o percentual mínimo obrigatório de 30% e ausência de quadro técnico de nutricionistas.