Moradores denunciam invasão em área do Prosamim na zona Oeste de Manaus

Seinfra confirmou que terreno pertence ao Estado

Foto: Radar Amazônico

Fontes ligadas ao Radar Amazônico denunciaram na manhã desta quarta-feira (13) uma invasão que está acontecendo em um terreno que pertence ao Estado do Amazonas no bairro Santo Antônio, zona Oeste de Manaus. O local foi recuperado pelo Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) e fica bem ao lado do Centro Estadual de Convivência da Família Magdalena Arce Daou.

A reportagem esteve no local e constatou que uma cerca feita com estacas de concreto e arame farpado está sendo construída no terreno. No local, o Radar Amazônico conversou com o advogado Marcos Sampaio, que se apresentou como procurador do proprietário do imóvel. Ele afirma que o terreno pertence ao seu cliente desde os anos 1960.

“Este terreno é de propriedade particular, adquirido no final da década de 60, e consta no registro de imóvel, o limite até o Igarapé do Franco. Ainda que tenha havido a intervenção do Prosamim. Essa intervenção não tirou a propriedade do terreno”, disse a defesa.

O advogado ainda afirmou que a cerca foi construída para impedir o descarte de lixo no local.

“O que está sendo feito aqui é a colocação de mourões de limite do terreno para evitar o constante despejo de lixo e entulho. Na condição de proprietário, o meu cliente está zelando pelo bom uso do imóvel”, afirmou.

Mediante essas informações, a reportagem procurou a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra) que confirmou a denúncia.

“O terreno é do Estado mesmo, inclusive já comunicamos o departamento de desapropriação que está acionando o Gipiap (Grupo Integrado de Prevenção a Invasões em Áreas Públicas (GIPIAP) para tomar as providências”, informou a assessoria do órgão.