Morre o bailarino e coreógrafo Ismael Ivo, aos 66 anos

TV Brasil

O bailarino e coreógrafo Ismael Ivo morreu na noite de ontem (8) aos 66 anos de idade. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês e, embora não haja confirmação oficial sobre a causa, amigos citam complicações da covid-19, ao lamentar a morte do bailarino nas redes sociais.

Ismael Ivo dirigiu o Balé da Cidade, do Theatro Municipal de São Paulo, entre 2017 e 2020. Em nota oficial, a instituição lamentou a morte do bailarino. “Expressamos nossos sinceros sentimentos aos familiares, amigos, admiradores e todo o setor cultural. Seu legado será sempre lembrado por todos nós”, diz o comunicado.

Repercussão

O governador de São Paulo, João Doria, também expressou pesar pela perda. “O Brasil perdeu hoje Ismael Ivo, um dos maiores coreógrafos contemporâneos. Ismael foi diretor da Bienal de Veneza, do Balé da Cidade, e o primeiro estrangeiro a dirigir o Teatro Nacional Alemão. Era um amigo querido. Muito triste. Minha solidariedade aos familiares”, disse em publicação no Twitter.

Ainda na rede social, o rapper Emicida foi um dos que lamentou a morte do bailarino, citando a doença causada pelo novo coronavírus.

A cantora Fabiana Cozza também dedicou algumas palavras a Ivo. “Vê-lo dançando foi das maiores emoções que senti assistindo a outro artista em cena. Um dos gigantes da dança contemporânea internacional, o brasileiro Ismael Ivo se despediu há pouco. Minhas condolências à família. Vá em paz, Mestre!”, disse pela rede social.

Trajetória

Ismael Ivo começou a carreira no Brasil, na década de 1970. Trabalhou em diversos países, se tornando um importante nome da dança europeia. De 2005 a 2021 dirigiu o Festival de Dança da Bienal de Veneza e foi diretor artístico do ImPulsTanz, em Viena,Ismael Ivo começou a carreira no Brasil, na década de 1970. Se tornando um importante nome da dança europeia e, de 2005 a 2021, dirigiu o Festival de Dança da Bienal de Veneza. e do Prêmio Roma de Coreografia. Em 2010, recebeu a Ordem do Mérito Cultural do Brasil. Em 2017, voltou ao Brasil para dirigir o Balé da Cidade, em São Paulo.