Morte de ginasta Ana Paula Scheffer tem causa inconclusiva em 1º exame

blank

Imagem: Fernando Donasci/Folhapress

O primeiro exame feito pelo Instituto Médico Legal de Toledo (PR) para apontar qual foi a causa da morte da ginasta Ana Paula Scheffer, de 31, teve resultado inconclusivo, informou o IML hoje (17).

Ana Paula Scheffer foi encontrada morta pela própria mãe dela ontem (16), na casa onde a família morava em Toledo, cidade do interior do Paraná. A ginasta estava na cama.

Após a constatação da morte, o corpo de Ana Paula foi para o IML de Toledo para que peritos pudessem precisar a causa do falecimento, o que não foi possível de ser feito após os primeiros exames.

Agora, novos exames serão feitos na tentativa de identificar a causa da morte da ginasta. Segundo o IML do Paraná, isso pode demorar de três a quatro meses por causa do intenso trabalho durante período da pandemia do novo coronavírus.

Ana Paula Scheffer era atleta de ginástica rítmica. Ela defendeu a seleção brasileira de ginástica rítmica e ganhou uma medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007. Ela também participou do Pan da modalidade em 2005, dos Jogos Sul-Americanos de 2006, em Buenos Aires, e de 2010, em Medellin, além do Mundial de Ginástica Rítmica de 2009, no Japão. Ana Paula atuava atualmente como técnica da equipe do Cascavel, do Paraná.