Mostra promovida pelo Santander é desrespeitosa, diz Wanderley Dallas

A exposição sobre diversidade sexual na arte, denominada “Queer museum: Cartografias da diferença na arte brasileira”, promovida pelo banco Santander e financiada com verbas públicas da Lei Rouanet, foi motivo de duras críticas por parte do deputado estadual Wanderley Dallas (PMDB), nesta quarta-feira (20).

Conforme o parlamentar, a mostra, realizada no Santander Cultural, na cidade de Porto Alegre (RS), foi “um desrespeito a todas as famílias cristãs do Brasil”, e segundo ele, até as não cristãs.

De acordo com Wanderley Dallas, a exposição mostrou a banalização do sexo na sociedade e, principalmente, a falta de controle sobre o que as crianças e jovens podem ter acesso, tendo em vista que a mesma foi aberta a todas as faixas etárias.

“Não trouxe ensinamentos bons. Foi um desrespeito e um acinte à moral de nossas crianças e da sociedade”, disse o peemedebista, ao ressaltar que os quadros retratavam pedofilia e desrespeito às famílias.

Ele acrescentou que no acervo de obras colocado à visitação da população constava o tema de zoofilia, com homens e mulheres praticando sexo com animais. “Isso não é arte, é uma esculhambação”, desabafou o deputado.

Após a repercussão negativa da mostra, na internet, o banco decidiu encerrar as exposições. Nas redes sociais muitos clientes afirmaram que deixariam de usar os serviços do Santander.