Movimentos sociais vão às ruas contra a pedofilia e cobrando punição definitiva dos culpados

ato publico contra a pedofilia no auditório da ALEO deputado Luiz Castro, o Movimento Nacional de Direitos Humanos e o Comitê de Enfrentamento da Violência Contra Crianças e Adolescentes, promovem esta quarta-feira (12) uma manifestação de repúdio à pedofilia no Amazonas e pela punição dos envolvidos em crimes de abuso sexual a crianças e adolescentes em Coari.

A concentração está marcada para às 14h no estacionamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na avenida André Araújo. Os manifestantes seguirão em passeata até a sede do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), onde será entregue um manifesto propondo a seguinte pauta:

1–   Julgamento do prefeito Adail Pinheiro pelos crimes de Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes;

2–   Cassação do Registro de Candidatura de Adail Pinheiro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE);

3–    Criação de Vara Criminal Especializada em Crimes Sexuais contra Crianças e Adolescente;

4–    Intervenção no Município de Coari para o reestabelecimento da ordem e moralidade pública;

5–    Apoio à criação da CPI da Pedofilia na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas

A manifestação foi definida no ato público realizado na última sexta-feira, na Assembleia Legislativa, em que as entidades representativas da sociedade civil defenderam o julgamento e prisão definitiva dos responsáveis pela rede de pedofilia em Coria.

De acordo com o coordenador do Movimento  Nacional de Direitos Humanos, Renato Souto, não basta a prisão temporária de Adail Pinheiro. “É bom lembrar que em 2008, ele foi preso e liberado, para continuar praticando crimes”, salienta. O ativista destaca que a Justiça amazonense tem que cumprir o seu papel, e julgar o prefeito pelos crimes de corrupção e de pedofilia, conforme relatório da Operação Vorax.