Anúncio Advertisement

MPE requer que seja mantida a cassação de Romeiro Mendonça e seu vice

O Ministério Público Eleitoral do Amazonas (MPE-AM) entrou com recurso no dia 26 de abril (ver recurso no final da matéria) requerendo “a cassação do diploma de prefeito e vice-prefeito, outorgados aos recorridos, Romeiro José Costeira de Mendonça e Mário Jorge Buldol Abrahão”.

Romeiro Mendonça, do PDT de Amazonino Mendes, e seu vice, foram cassados pelo juiz eleitoral da 51ª Zona Eleitoral de Presidente Figueiredo, Odílio Pereira Costa Neto, em dezembro do ano passado.

Mas, esse magistrado foi substituído pelo juiz Roger Luiz Paz de Almeida, que ao julgar recursos ingressados pelo prefeito, os chamados embargos de declaração, decidiu modificar a sentença do seu antecessor e manter no cargo Romeiro Mendonça e seu vice – vou procurar saber se embargos de declaração modificam sentença porque eu achava que não, meu povo!

Romeiro Mendonça faz parte da lista do Tribunal de Contas da União (TCU) como ficha suja por mau uso do dinheiro público. Mesmo assim, conseguiu através de uma liminar concorrer à Prefeitura de Presidente Figueiredo.

Romeiro Mendonça vem sendo alvo, desde o ano passado, de varias denúncias de nepotismo e mau uso do dinheiro público, mas os órgãos de controle externo da administração pública não têm se manifestado.

(clique para expandir)