MP instaura Inquérito Civil para investigar suposto crime ambiental cometido por prefeito de Humaitá

Dedei Lobo teria autorizado que estradas fossem abertas sem nenhuma licença ou amparo ambiental

Foto: Divulgação

Um Inquérito Civil  foi instaurado pelo Ministério Público para investigar crime ambiental que possa ter sido cometido pelo prefeito Cidinei Lobo Nascimento (UB) conhecido por Dedei Lobo que teria supostamente autorizado abertura de estradas em áreas permanentes de preservação ambiental, correspondente a crime ambiental contra a flora.

De acordo com o documento, publicado nessa terça-feira (10), que corresponde a Notícia de Fato n. 162.2021.000164, Dedei Lobo teria autorizado que estradas fossem abertas sem nenhuma licença ou amparo ambiental e, como consequência, gerado o desmatamento na área. (Confira documento no final da matéria).

O promotor de Justiça, Weslei Machado determinou que há urgência na realização de medidas sobre  a denúncia e que, caso seja comprovado o crime ambiental, sejam adotadas as medidas ambientais cabíveis. Além disso, também foi pedido que o gestor Dedei Lobo seja notificado e se manifeste no prazo de vinte dias.

Crimes contra a Flora

São crimes que causam destruição ou dano a vegetação de preservação permanente. As penalidades são: detenção, de um a três anos, e/ou multa.

Respostas

O Radar entrou em contato com a prefeitura de Humaitá para saber quantas estradas teriam sido supostamente abertas e qual teria sido a motivação para a abertura dessas vias, assim como qual a extensão dessas estradas, mas até a publicação desta matéria não houve retorno.

Confira o documento no Diário do Ministério Público