MP investiga morte de idosa por falta de material para cirurgia cardíaca no Hospital Francisca Mendes

Foto: Divulgação

O Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) decidiu prorrogar por 90 dias a investigação da morte da idosa Hermínia Francisca das Chagas que tinha 90 anos de idade e supostamente teria morrido por “falha de atendimento à saúde no Hospital Universitário Francisca Mendes”, localizado no bairro Cidade Nova, na Zona Norte de Manaus.

A falha que teria causado a morte da idosa seria a falta de material para cirurgia cardíaca para substituição de marca-passo. A publicação com a prorrogação do prazo da investigação sobre a morte da idosa está no Diário Eletrônico do MP desta segunda-feira, 5 de abril.

O MP esclarece que, apesar da investigação ter começado ano passado, depende de informações de “informações solicitadas à Secretaria Estadual de Saúde (SES) em 01/12/2020 e ao Hospital Francisca Mendes em 01/03/2021, ambas sem resposta até hoje”.

Veja a portaria na íntegra