MP recomenda governo do AM chamar concursados da Adaf

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) cobrou do governo do Estado do Amazonas, através de uma recomendação, que seja executada a nomeação dos concursados aprovados nos concursos da Agência de Defesa Florestal e Agropecuária do Amazonas (Adaf).

De acordo com o documento, assinado pelo promotor de Justiça Antônio José Mancilha, o chamamento é dos concursados do certame de 2018 e que a opção do governo do Amazonas em não contratar novos servidores efetivos e optar por contratações ilegais, poderá acarretar na punição de probidade administrativa.

Conforme a recomendação, em março deste ano, a Adaf prorrogou por mais dez meses o 4° Termo Aditivo de Contrato firmado com a Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADS) para a contratação de funcionários temporários, de forma ilegal, em detrimento dos aprovados em concurso público.

A cobrança foi reforçada pelo deputado estadual Dermilson Chagas (18), nesta quarta-feira (18), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). O parlamentar falou também da necessidade de mais agilidade e esclarecimento no chamamento dos concursados aprovados no concurso da Secretaria de Estado de educação (Seduc) que esperam há anos, para serem convocados.

(*) Com informações da assessoria de imprensa