MPAM apura denúncias de falta de exames para recém-nascidos na maternidade de Humaitá

Foto: divulgação

Após o Ministério Público do Amazonas (MPAM) receber uma denúncia de que os exames em recém-nascidos não estavam sendo feitos na maternidade de Humaitá, (distante de Manaus 696 km de Manaus), o Órgão abriu um procedimento para fiscalizar quais os testes e exames que estão sendo feitos na maternidade.

A denúncia foi recebida no WhatsApp da Ouvidoria-Geral no dia 04 de agosto de 2020, onde o denunciante informou que nos exames obrigatórios como os “testes do olhinho e do ouvidinho” não estavam sendo realizados na maternidade.

O Promotor de Justiça Rodrigo Nicoletti, titular da 2ª Promotoria de Justiça de Humaitá, notificou a Secretária Municipal de Saúde requisitando informações sobre os testes realizados na maternidade do município para garantia e prevenção da saúde.

A pasta ainda deve relacionar quantos e quais são os testes e exames realizados, informar quem é a equipe responsável pelos procedimentos e se ele é realizado logo após o nascimento, ou seja, antes de sair da maternidade.

A SEMSA informou à Promotoria, no último dia 02 de março, que realiza os seguintes procedimentos após o nascimento: a emissão otoacusticas evocados para triagem e auditiva (teste da orelinha), que é feito por uma Equipe Fonoaudiológica, teste de coraçãozinho – feito por Técnicos em enfermagem e o teste não treponêmico para testação de sífilis, realizado por uma Biomédica.

“O processo continua em andamento e avançando para cobrar o procedimento dos outros testes como o Ocular (olhinho); Reflexo-Vermelho (olhinho também) e o do teste do pezinho”, destacou o Promotor de Justiça.

(*) Com informações da assessoria do MPAM