Em Alvarães, MPAM investiga contratação de médicos sem registro no CRM

Segundo a denúncia apresentada ao MPAM, os médicos atuam no hospital e nas Unidades Básicas de Saúde do município

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) instaurou um inquérito civil para investigar denúncia de possíveis contratações irregulares de médicos sem registros no Conselho Regional de Medicina (CRM) para trabalham no Hospital São Joaquim e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município de Alvarães (a 531 quilômetros de Manaus).

A investigação foi assinada pelo promotor de Justiça, Gustavo Van Der Laars, e publicada no Diário Oficial do MPAM – ver no final da matéria – da última sexta-feira (27).

Segundo a publicação oficial, a denúncia foi apresentada na Notícia de Fato n.º 003/2021-PJALV. Caso as contratações irregulares sejam comprovadas, o caso poderá ser caracterizado como crime de improbidade administrativa.

Além disso, o MPAM determinou um prazo de 15 dias para que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Alvarães forneça informações como: a relação de pessoas formadas em medicina com contratos ativos e/ou rescindidos de estágio de aprimoramento médico; contratos de estágio de aprimoramento médico celebrados e respectiva documentação dos contratados (ativos e rescindidos); demonstrativo dos valores pagos aos estagiários contratados desde o início do contrato até a presente data ou respectiva rescisão; relatório das atividades realizadas pelos estagiários de aprimoramento médico, entre outras.

O Radar Amazônico entrou em contato com a Prefeitura de Alvarães solicitando um posicionamento a respeito da denúncia apresentada no Ministério Público. Até a publicação desta matéria, não houve resposta.

A reportagem também procurou o CRM, por meio da assessoria de comunicação, para falar a respeito do caso, mas sem retorno do órgão.

Confira a publicação na íntegra