MPE pede interdição da pista de pouso e decolagem de aviões em Pauini

O Ministério Público do Estadual (MPE) ingressou com uma Ação Civil Pública (ACP), pedindo a interdição da pista de pouso do município de Pauini (a 925 quilômetros de Manaus) e a construção de um aeródromo fora da zona urbana da cidade em até seis meses. Na ação, o MPE pede, ainda, em caso de descumprimento, a multa de R$ 50 mil para a Prefeita de Pauini, Eliana Oliveira Amorim.

A medida foi tomada em razão dos acidentes provocados pela localização inadequada da pista de pouso e decolagem de Pauini. Pelo menos duas pessoas já morreram atropeladas por aeronaves no local.

Conforme registra o titular da PJ de Pauini, Promotor de Justiça Cláudio Facundo de Lima, o primeiro caso ocorreu no dia 22 de agosto de 2012, quando a vítima, Idevânio Vieira de Souza, trafegava em uma motocicleta pela pista do aeroporto e teve sua cabeça decepada pela asa da aeronave PT-RPU, da Ortiz Taxi Aéreo, de Rio Branco, que realizava o procedimento rotineiro de pouso.

O segundo caso aconteceu este ano, no último dia 27 de outubro, às 18h, quando o avião Sêneca, Prefixo PT-RXQ, que estava em solo, em processo de frenagem após o pouso, atingiu Adilson dos Santos Pereira. A vítima sofreu traumatismo craniano e faleceu ainda na pista.

“O município de Pauini não possui aeroporto. A pista de pouso funciona irregularmente no centro da cidade, colocando em risco a segurança de todos os sujeitos diretamente envolvidos nos serviços de pouso e decolagem, e, evidentemente, as centenas de moradores que transitam ou fazem caminhadas no local. A movimentação de pessoas é constante e a ocorrência de acidentes desse tipo assume proporções e desdobramentos incalculáveis”, avalia o titular da PJ de Pauini.

Com informações da assessoria do MPE