MPE pede à justiça intervenção em Coari

francisco cruzApós três representações entregues ao Ministério Público Estadual (MPE) pelo deputado Luiz Castro, pedindo intervenção em Coari, o procurador geral de Justiça, Francisco Cruz, encaminhou hoje (30) ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) a solicitação de intervenção estadual no município. Caso o pedido de intervenção feito pelo MPE seja acatado pelo TJAM, o prefeito em exercício, Igson Monteiro, que passou a ocupar o cargo, com o afastamento de Adail Pinheiro, será substituído por um interventor designado pelo governador José Melo.
Luiz Castro considerou positiva a decisão do Ministério Público, e afirma que a expectativa agora, é de que o Tribunal de Justiça aprove o pedido com celeridade, e atenda o clamor da população de Coari, a fim de que seja restabelecida a segurança e a ordem social na cidade.
Na avaliação do deputado, o governador precisa escolher um interventor com perfil técnico e de ilibada reputação, para assumir a Prefeitura e restaurar a moralidade administrativa no município.
Na última representação protocolada por Luiz Castro, no dia 11 de junho, dez deputados assinaram o pedido de intervenção no município em Coari,  dentre eles o presidente da Assembleia Legislativa, Josué Neto (PSD) e o líder do governo na Aleam, Sidney Leite (PROS). Entidades da sociedade civil organizada de Coari, também endossaram o documento.
Dados contundentes de corrupção e desvio de dinheiro público, praticados pelo prefeito afastado Adail Pinheiro, acusado de chefiar um esquema de exploração sexual de crianças e adolescentes em Coari, foram relatados ao Ministério Público, mostrando que apesar de preso em Manaus, Adail continuava dando ordens aos secretários municipais.
Autor da CPI da pedofilia na Assembléia Legislativa, Luiz Castro lembrou ainda que a deputada federal Erika Kokay, que presidiu a CPI da exploração sexual de crianças e adolescentes na Câmara dos Deputados, também ingressou no MP com pedido de intervenção em Coari.