MPF investiga contaminação radioativa em Presidente Figueiredo

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou um Inquérito Civil (IC) nesta terça-feira (13) para apurar a suposta contaminação radioativa decorrente de atividade mineradora desenvolvida na Reserva do Pitinga, localizada em Presidente Figueiredo (distante 130 quilômetros de Manaus).

De acordo com o procurador da República Rafael Rocha, o processo de mineração feito pela empresa Mineração Taboca S/A estaria provocando a contaminação radioativa em Presidente Figueiredo.

Segundo o procurador, a denúncia foi feita pelo aplicativo “Meu Ambiente”, informando a suposta contaminação na Reserva do Pitinga.

A partir das informações, o procurador da República resolveu converter a Notícia de Fato n° 1.13.000.000856/2019-90 em inquérito civil, para apurar as denúncias de contaminação.

Com a instauração do inquérito civil, o procurador resolveu oficiar o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e à empresa Mineração Taboca para se manifestarem, no prazo de 10 dias, sobre as denúncias.

No documento, o procurador pediu que os envolvidos apresentassem as adequações dos níveis de radioatividade provenientes da atividade de extração mineral desenvolvida na mina do Pitinga, em Presidente Figueiredo.

Leia o documento na íntegra