MPF investiga contratação de professores sem formação médica na Faculdade de Medicina da UFAM

MPF

O Ministério Público Federal (MPF), através da portaria nº 38, datada de 19 de abril desse ano, assinada pelo procurador da República, Felipe Augusto de Barros Carvalho Pinto, decidiu “instaurar inquérito civil para apurar a contratação de professores sem formação médica na Faculdade de Medicina da UFAM”. O MPF teria sido provocado pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas (CREMAM), que entrou com representação fazendo a denúncia de que esses professores “não têm qualificação suficiente para ministrar aulas aos acadêmicos do Curso de Medicina da Universidade Federal do Amazonas”.

A UFAM será notificada para, no prazo de 20 dias, “apresentar a lista de professores da Faculdade com indicação da disciplina ministrada por cada um, bem como a formação acadêmica de cada docente”.