Anúncio Advertisement

MPF investiga irregularidades com uso de verbas federais em Guajará

O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas abriu dois inquéritos civis para investigar o desvio de verbas federais no município de Guajará (a 1.492 quilômetros de Manaus). Os alvos das investigações são o prefeito da cidade, Ordean Gonzaga da Silva, seu vice, Adaildo da Costa Melo Filho e o secretário municipal de saúde, Braz Alves de Melo.

As portarias de n° 34 e 35, que constam as informações foram publicadas no Diário Oficial do MPF, nessa terça-feira (11). O procurador da República, Armando Cesar Marques de Castro assina os dois inquéritos que devem durar um ano cada. (Veja as portarias no final da matéria)

Para abrir a investigação que consta na portaria n°34, o procurador considerou o Procedimento Preparatório nº 1.13.000.001096/2018-57, que apura “supostas irregularidades praticadas pelo atual prefeito de Guajará, Ordean Gonzaga da Silva, que não teria repassado aos professores do município as verbas referentes ao Fundeb, exercício de 2017, no valor de R$ 1.297.959, 61”.

Já na portaria n°35, o procurador considerou o Procedimento Preparatório nº 1.13.000.001088/2018-19, com a finalidade especifica de “apurar supostas irregularidades praticadas por Adaildo da Costa Melo Filho, vice-prefeito de Guajará, e Braz Alves de Melo, secretário municipal de saúde, referentes a verbas repassadas pelo FNDE para a construção de uma escola e de uma quadra poliesportiva na comunidade do Gama”.

No caso da construção da escola, a tomada de preços nº 001/2014, foi vencida pela empresa J. B. Construções Ltda.  e a empresa Eco Construções venceu a tomada de preços nº 007/2014, que tratava sobre a construção da quadra.

Confira as portarias na íntegra