MPF reúne movimentos sociais para alinhar agenda de trabalho no Amazonas

Com a proposta de construir uma agenda de atuação, o Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas se reuniu com mais de 50 movimentos sociais em atividade no Estado, na última quarta-feira (14). A reunião marcou a retomada do projeto “MPF em Movimento” e contou com a presença de 80 representantes de diversos segmentos da sociedade civil organizada.

No encontro, tiveram voz e puderam manifestar suas demandas e preocupações representantes de diversos coletivos e entidades feministas e da causa LGBTQ+, movimentos de indígenas, negros e imigrantes, redes e institutos ligados à agroecologia e à promoção da sustentabilidade socioambiental na Amazônia.

Também marcaram presença representantes de associações de moradores de comunidades ribeirinhas, grupos de atuação nas áreas da saúde e atenção a deficiências físicas e intelectuais, nas áreas da educação e da moradia e na defesa do direito da livre expressão religiosa e cultural, apenas para citar algumas das temáticas representadas no evento.

De acordo com a coordenadora do projeto, a procuradora da República Bruna Menezes, todos os relatos apresentados durante a reunião foram registrados e motivarão contatos a serem feitos posteriormente pela equipe do projeto, para construir conjuntamente uma agenda de atividades e atuações de 2019, a partir de formatos e abordagens definidos com a participação das próprias entidades e movimentos.

“Está na alma desse projeto a ideia de movimento, seja pela escuta ativa dos anseios dos movimentos sociais nesse primeiro momento, seja pela disposição do MPF em se deslocar até as demandas e até os demandantes. Não há algo pronto, acabado. O movimento requer construção, participação, colaboração”, ressaltou.

Instituído por meio da Portaria PR/AM 125, de 16 de setembro de 2013, o projeto “MPF em Movimento” visa promover visitas e debates junto a comunidades e movimentos sociais da capital e dos municípios adjacentes, com o objetivo de ampliar cada vez mais o contato da sociedade civil manauara e da região metropolitana de Manaus com as pautas de responsabilidade do órgão federal.

Com informações da assessoria do MPF.